30 novembro 2005

A farsa do projeto a favor do aborto


Com a maior pressa - afinal, como eu disse no post anterior, a descriminalização do aborto é um desejo antigo e voraz do partido do governo - , será votado hoje (ou já foi, pois o seria desde as 9h30 da manhã) o Projeto de Lei que, segundo a mídia, prevê a legalização do procedimento até a 12ª semana de gestação.

Isto, no entanto, é uma farsa. Elaborado por uma comissão do governo, de fato o texto do Projeto afirma, logo no início, que a lei proposta "assegura a interrupção voluntária da gravidez até doze semanas de gestação". Porém, a frase é apenas uma cortina de fumaça para o que vem depois. Basta prosseguir com a leitura até o artigo nono para descobrir que a proposta, na verdade, revoga os artigos 124, 126, 127 e 128 do Código Penal* - ou seja, simplesmente todos os artigos no código brasileiro que criminalizam a medida.
Assim, qualquer mulher, por qualquer motivo, passa a ter o direito de interromper sua gravidez a qualquer tempo, se assim o desejar e o médico o consentir. Sobram apenas duas exceções ridículas: quando o aborto é praticado contra a vontade da gestante e quando houver risco de lesão corporal ou morte da gestante.

Todos os direitos para a mulher, inclusive sob o propósito mais fútil; nenhum para a criança por nascer. Que tristeza.

E com a cumplicidade da mídia, para variar - já que nenhum jornalista está cobrindo o fato de que o formato textual do projeto foi feito para enganar o povo brasileiro, que é maciçamente contra o aborto. Reproduzem a medida do jeitinho que o governo quer: como se fosse apenas para fetos até a 12ª semana de gravidez.


Mas os cristãos verdadeiros e todos aqueles que são contra o aborto sabem que a questão do tempo de vida do feto é absolutamente irrelevante. Afinal, que critério somente temporal poderia negar o valor da vida de um ser humano dentro do ventre de sua mãe?

Sendo aprovado o cruel Projeto de Lei, só nos resta orar:

- Pelas crianças por nascer, para que Deus não as desampare;
- Pelas mães desesperadas demais ou despreocupadas demais com a concepção, para que sejam tocadas pelo Espírito e deixem seus filhos nascerem, sob a confiança de que Deus lhes proverá os meios para cuidar deles;

- Pelos médicos que forem obrigados a se submeter a esse "direito da mulher", para que tenham a coragem de enfrentar a oposição ao se negarem a praticar o procedimento;
- Por esta nação, para que peçamos perdão a Deus e que Sua ira não se abata sobre o Brasil (um amigo me lembrou de alguns países que sofreram desastres logo após a liberalização do aborto, como Espanha e EUA - vou procurar os dados e depois posto aqui). Com a ira de Deus não se brinca.

* Confira o texto compilado dos artigos: Art. 124 - Provocar aborto em si mesma ou consentir que outrem lho provoque; Art. 126 - Provocar aborto com o consentimento da gestante; Art. 127 - As penas cominadas nos dois artigos anteriores são aumentadas de um terço, se, em conseqüência do aborto ou dos meios empregados para provocá-lo, a gestante sofre lesão corporal de natureza grave; e são duplicadas, se, por qualquer dessas causas, lhe sobrevém a morte; Art. 128 - Não se pune o aborto praticado por médico: I - se não há outro meio de salvar a vida da gestante; II - se a gravidez resulta de estupro e o aborto é precedido de consentimento da gestante ou, quando incapaz, de seu representante legal.

Mais informações:
Pró-vida de Anápolis

12 comentários:

César Miranda disse...

Sobre a ira de Deus sobre nosso país, caso esse projeto seja aprovado, não tenho dúvida. Rezemos, rezemos e rezemos. Mais um ótimo post, pra variar.
bj

Norma disse...

Obrigada, César! Bom, nem preciso dizer que o amigo que menciono no post é você, né? :-) Se você achar o seu texto sobre a ira de Deus, ia ser ótimo, pois eu o incluiria no post. É sempre muito gostoso trabalhar com a intertextualidade blogueira, mas melhor ainda quando se trata de alguém de quem a gente gosta muito. Beijão!

Adelice disse...

Oi Norma,

Sem contar a ira de Deus, vale lembrar as consequências que se tem na China. Vi uma reportagem que mencionava o tráfico de meninas chinesas, para que sejam vendidas para "casarem" com homens que não encontram esposa, por causa do desequilíbrio entre homens e mulheres.

Menina Positiva disse...

Olá Norma...

Nossa, não sabia dessa lei. Sou totalmente contra o aborto, acho que a mulher não queria o filho, que se previnisse para não engravidar. Camisinha ta aí para isso. Mais não, a pura ilusão de que nada vai acontecer conosco faz com que esqueçamos de nos cuidar e quando menos esperamos, acidentes acontecem. O aborto não deve ser legalizado de forma nenhuma, deve haver sim mais educação sexual, pois cada vez mais adolescentes ficam gravidas. E acima de tudo, deve haver mais amor a Deus nos corações das pessoas. Se todos amassem e respeitassem os mandamentos, o mundo não estaria hoje como está.
um abraço amiga, e que a ira de Deus não caia sobre nós.

Abraços

Rodrigo R. Pedroso disse...

Querida Norma, obrigado pelo posto.

Os que vão nascer te saúdam!

Caio Kaiel disse...

Oi Norma... estou assutado principalmente pela contradição que gera tal discussão... como estudante de direito eu digo:
O Código Civil estabelece: “A personalidade civil da pessoa começa do nascimento com vida; mas a lei põe a salvo, desde a concepção, os direitos do nascituro”.

Ou seja, está bem claro em nosso ordenamento que desde o momento da fecundação propriamente dita, a pessoa (em sua expectativa) tem direitos resguardados... como validade de doações, heranças e etc... o que acontecerá com estas questões? Bom, melhor jogarmos o Código Civil e a Constituição fora - é o que eles querem lá no fundo.

vou te mandar um e-mail sobre o assunto.

té mais.

Deus bençoe

Caio Kaiel

Rodrigo de Vasconcelos disse...

Vim falar uma coisa boa, mas esse seu post me entristeceu demais. Depois lhe falo.

Elise disse...

A vida humana é sagrada, ponto final.

gostei muito do que li, um abraço cheio de emoção e bom fds.

Santa disse...

Estou assim: sempre que vejo uma imagem de criança, lembro do seu post.
Bjs

Norma disse...

Rodrigo: fiquei curiosa... Volte logo.

Elise: os que tentam dessacralizá-la são legião. Não sabem que cavam obstinadamente seu próprio fim.

Santa: que dizer de seu comentário? Fico sem palavras. Como é importante saber dessas coisas.

Segundo as notícias, a votação foi adiada para o dia 7. Não foi vantagem para quem é contra o aborto: um amigo que entende desses trâmites me informou que, se tivesse sido naquele dia, os pró-vida teriam ganhado. Renovemos as denúncias, os posts e sobretudo as orações.

Toscoman disse...

O bem maior a ser protegido pelo Direito brasileiro, reflexo dos valores de nossa sociedade, é a vida e a expectativa de vir a nascer com vida. Tal direito não pode, e se depender do povo não haverá de ser, desrespeitado. Um suposto direito sobre o próprio corpo, mas que atinge diretamente a um outro, é uma falácia e, mais que isso, um crime. Sou ateu e me considero (ou considerava) um feminista, mas existe um limite, e esse limite esta sendo violado.

Esse governo agora quer fazer passar um estatuto que vai institucionalizar o racismo, tornar a discriminação racial legal e oficial ( http://www.educafro.org.br/noticia/Assuntos/Estatuto_da_Igualdade_Racial.pdf ). Outro estatuto, o do desarmamento, já esta valendo, logrou êxito, dificultando de tal maneira o registro de uma arma que vale mais a pena conseguir uma por meios ilícitos. Agora esse projeto de lei sobre o aborto. O estrago que este governo esta fazendo é sem precedentes na nossa história.

Lucas disse...

Norma,

Procurando pelos labirintos do site da Câmara, encontrei isso aqui:
http://www.camara.gov.br/sileg/integras/361368.htm

No final do arquivo, a lei foi simplificada para liberar sem restrições o aborto. Não sei quantas etapas ainda faltam para a votação final.

Um abraço.