26 fevereiro 2006

Novo artigo no MSM: ainda sobre o aborto

Saiu artigo meu no Mídia sem Máscara:

Aconselhamento para morte: aborto e subjetivismo

Cristão não pode defender nem relativizar aborto, por dois motivos:

1. É errado; aborto é assassinato, pouco importa se o feto é pequeno ou grande.

2. Ao defender ou relativizar o aborto, estará ajudando o movimento politicamente correto mundial a instaurar sua nova ética, individualista e subjetivista, que coloca os "direitos individuais" muito acima dos "deveres para com o outro".

Esse artigo é, de certa forma, uma continuação do meu post "Um aconselhamento para morte".

Veja um trecho:

Papel de destaque merece essa admirável torção de linguagem [no texto de Caio Fábio]: afirmar que pessoas indignadas com a morte provocada de uma criança no ventre de sua mãe não têm misericórdia! De fato, quem sanciona tranqüilamente tal morte é a mais misericordiosa das criaturas! Ah, mas o discurso progressista dos evangélicos não é muito diferente de qualquer outro discurso de esquerda: o mal absoluto é tudo que se volta contra eles, o mal relativo é o que eles cometem – relativizável ao infinito.

Boa leitura!

20 comentários:

Anônimo disse...

Parabéns pelo artigo no MSM! Concordo com cada palavra do que a senhor disse. Entretanto, quando há o comentário sobre os evangelicos, creio ter havido uma generalização. Apesar dos esquerdinhas abundarem em nosso meio, nem todos nos contaminamos com a peste do politicamente correto nem com a agenda canhota.

Parabéns mais uma vez

Norma disse...

Olá, Anonymous! Quem é você?

Está certo, mas somos cada vez mais minoria, não é? Ainda mais agora, depois dessa história do CMI. Olha só:

"Dona Ofelia Ortega Suárez, pastora da Igreja Presbiteriana Reformada de Cuba, (...) tão condescendente com a violência institucionalizada em seu próprio país, acaba de ser eleita, em Porto Alegre, presidente do Conselho Mundial de Igrejas, numa Assembléia marcada por manifestações em favor da paz. Tremenda contradição! Somando-se ao que narro acima, vale lembrar que: a) a grande estrela da Assembléia do CMI, o bispo anglicano Desmond Tutu, afirmou que Deus não é cristão (e de duas uma: ou Cristo não é Deus ou seu batismo não valeu); b) um dos atos do encontro foi a badalada celebração religiosa gay na capela da PUC; e c) muitos temas cuidados pela assembléia se voltaram para assuntos como água, energia, comércio internacional, dívidas externas e coisas assim, bem mais de César do que de Deus."
(http://www.puggina.org/index.php)

Obrigada pela força, ainda que anônima. :-) Oremos pela igreja!
Abraços!

Juliana disse...

Norma,


Eu penso como você. Não há como negociar a vida e é impensável que cristãos professos se prestem a isso.

Abraços da sua irmã em Cristo,


Wilson Bento disse...

OI Norma,
Sabe o que eh pior? Mandei uns 200 emails para muitos pastores, lideres cristaos, e ate para varias instituicoes que trabalham com criancas com sindrome e NINGUEM disse nada nem se manifestou.
As pessoas acreditam que silenciando estao resolvendo problemas, essa forma "politicamente correta" de se fazer as coisas esta causando um dano irreparavel.
Nao da, eh frustrante nao ver reacoes nas pessoas, estao anestesiados.
Somos pouquissimos...meu Deus, nao vai sobrar quase nada!!!

"Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Contudo quando vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?" Lucas 18:8

Anônimo disse...

Sou contra o aborto como método p evitar filhos, ainda que eu defende o controle de natalidade sério (evitar a concepcão)para evitar que pessoas sem condicões emocionais E/OU financeiras tenham filhos sem condicões de oferecer-lhes uma vida digna. Mas devo confessar que sou bastante dividida e não sei como reagiria se o filho fosse consequência de estupro e então não critico a decisão de quem o faz nesta situacão terrível pois acredito que deva ser extremamente difícil aceitar a crianca, a mulher violentada sofre muito e só ela pode saber o quanto uma crianca manterá vivo este sofrimento e a crianca sofrerá com certeza se a mãe não conseguir superá-lo. Quanto a saber que a crianca nascerá com uma doenca INCURÁVEL E GRAVE (não falo de qualquer doenca) que afetará terrivelmente sua própria vida (da crianca) é outra situacão terrível pois ver o sofrimento permanente de um filho é uma das piores coisas pela qual uma mãe pode passar, só a morte de um filho é pior, estou falando de mãe de verdade, aquela que morre pelo filho sem hesitar. Eu tive um filho que nasceu doente e as previsões médicas, devidas à gravidade, eram de que ele comecaria a ficar curado talvez em 10 ou 15 anos, não me conformei, vivi dedicada a meu filho 24 hs/dia e, contrariando os médicos, ele ficou curado em 4 anos mas, durante este tempo, não houve um só dia em que eu não chorasse e pedisse a Deus que me desse só mais 18 anos para criá-lo(enquanto ele precisasse de mim) em troca de meu filho ficar curado, ainda hoje choro(como agora) quando lembro o quanto era angustiante vê-lo sofrer com dores lacinantes sem nada poder fazer para aliviá-las. Hoje, ele tem 16 anos e tem uma personalidade maravilhosa(não sou mãe cega!), às vezes até penso que eu precisava provar que o merecia e assim me foi dada toda aquela provacão, sempre acredito que Deus tem seus meios meio incompreensíveis para nós mas sempre para algo muito bom. Bom, mas optei pela esterelizacão pq havia o risco de outros filhos nascerem com o mesmo problema, a primeira vez eu não sabia, mas não me achei com direito de arriscar expor outra crianca aquele sofrimento todo.

Juan de Paula disse...

Norminha,

Dietrich Bonhoeffer tem uma frase interessante sobre aborto:

"A vida.... pertence e está nas mãos de Deus" Ética, Ed. Sinodal. pág.100

Perdoe-me por não escrever mais, pois estou no trabalho e a citação foi de cabeça (risos)!

Pensemos assim.

Deus te abençoe!

Juan de Paula disse...

Ah Norminha,
seu artigo está 10!
Bjos!

Raquel disse...

Minha querida, respeito muito o que você escreve e te admiro demais, mas sou a favor do aborto, por inúmeras razões que prefiro falar/discutir pessoalmente. Aliás, estou com muita saudade de você! Beijo enorme!... Raquel

Norma disse...

Wilson, a situação está tão braba que às vezes penso que no Brasil existe alguma técnica de PNL, algo assim, sendo aplicada através da mídia para manter todo mundo anestesiado. Só pode! :-)

Obrigada, Juan e Juju!

Olá, Anônima! Muito obrigada pelo que escreveu. Respeito e admiro sua experiência de vida como mãe lutadora. Quanto a mim, não conseguiria fazer um aborto nem no caso de estupro, porque não suportaria a idéia de matar uma vida dentro de mim. É uma convicção que carrego desde que me entendo por gente, até antes de me converter ao protestantismo.
No caso do pastor, fui firme com ele porque ele aconselhou um aborto por um motivo eugênico, mas continua se dizendo contra o aborto. Como conselheiro, de cabeça fria, ele poderia ter mostrado ao casal - que já estava sofrendo - o outro lado da questão. Sou a favor da vida do bebê em qualquer circunstância, e mais: temo que a culpa consuma quem opta por abortar, mesmo uma culpa inconsciente, a ponto de sabotar a si mesmo e destruir a alma. De fato, creio que é isso que acaba acontecendo. Não acredito que alguém possa ficar bem 100% com tal decisão, mesmo anos depois.
Obrigada pelas palavras confessionais e um grande beijo!

Oi, Raquel! Muita saudade também!
Fiquei triste de ter perdido sua peça, mas janeiro foi um mês complicadíssimo, em que trabalhei bem mais que o normal. Pena que você não está novamente com a gente na AF! Vamos combinar alguma coisa, como um almoço ou um jantar em Ipanema, nos dias em que estou lá. Seria muito bom!
Grande beijo!

Adelice disse...

Oi Norma,

Excelente o texto. Mandei para algumas pessoas. Abração.

Wilson Bento disse...

Hey Norma, desculpe a intromissao mas, me deu uma saudade do Brasil quando vc falou pra Raquel:
"...um almoço ou um jantar em Ipanema.."
Que saudade!!!! um dia eu volto.

Norma disse...

Obrigada, Adelice!

Ai, Wilson... Às vezes eu é que penso em ir embora... :-)

Eliel J. Souza disse...

Olá Norma!

Parabéns por ser tão clara nesta sua posição. Compartilho dela, e me alegro por saber que existem pessoas como vc que fala a verdade neste mundo enlouquecido.

Gostariade ler algo de vc relacionando a posição cristã com a pesquisa com células troncos. Eu tenho lido o seu blog, e tb tenho lido seus posts na CR. Gosto muito, e como eu sempre aprendo, quando tiver tempo, escreva algo, pode ser? rs

Um abraço,
Eliel

Mario disse...

Oi Norma,

Inicialmente, peço perdão por estar me intrometendo entre seus leitores e você.

Você diz: "(...) temo que a culpa consuma quem opta por abortar, mesmo uma culpa inconsciente, a ponto de sabotar a si mesmo (...)"

Está absolutamente certa. É uma dívida da qual não é possível escapar, como toda qualquer outra dívida. Se não nesta vida, numa outra qualquer, em outra encarnação. Perdoem-me os que não acreditam em reencarnação e nem vou tentar "provar" sua existência. Sei que a doutrina católica e derivados, não admitem a reencarnação. Mas, se soubessem que isso foi uma imposição na base da "canetada" e que Jesus diz que seu primo João Batista é a reencarnação do profeta Elias (perdoem-me, não lembro o versículo), talvez suas mentes comecem a abrir, assim como aconteceu comigo.

Para a Anônima, que presta um depoimento de grande importância, e para quem pensa que é possível aceitar o aborto em determinadas circustâncias, sugiro que leia o que postei antes da Norma copiar seu comentário que foi publicado no MidiaSemMascara.

Para a sua dúvida sobre casos de estupro, veja estes dois depoimentos:

http://www.providaanapolis.org.br/2testem.htm

Aliás, o site é do Pe. Luiz Carlos Lodi da Cruz, que foi condenado por ter usado o termo ANTI-ABORTISTA, considerado pejorativo pelos tais "politicamente corretos".

Norma disse...

Muito obrigada, Eliel!
Você só não deixou seu endereço... Escreva para mim!

Caro Mário,
Obrigada pelos comentários e pela força sobre o aborto.
Sobre João Batista: você chegou a ler meu comentário ao João Emiliano, dizendo que fui espírita? É claro que conheço essa história e é claro que estudei sobre isso, logo de início. Fui muito criteriosa ao me converter. Foi quando vi que o cristianismo tem séculos de uma teologia muito bem-feita - esse negócio de "canetada" é "intriga da oposição" :-) - e muito bem argumentada, tanto católica quanto protestante. Hoje posso dizer com toda segurança que a Bíblia, se lida como um livro coerente, por inteiro, é incompatível com a reencarnação. A começar pelas alegações de Jesus: Ele é Deus, Ele veio para nos salvar, sem Ele nós não nos salvamos a nós mesmos. Já a reencarnação é uma espécie de auto-salvação.

Sobre essa história específica de João Batista e Elias, "no espírito de Elias" significa algo como "com a mesma missão de Elias"; é metafórico. Mas, para mim, o argumento mais forte é o da Bíblia como um todo. Não se pode pedir que pequenos trechos da Bíblia sustentem a reencarnação quando em seu todo ela desmente todo o sistema espírita. Paulo dizendo em Hebreus "Ao homem só é dado morrer uma vez" é só um exemplo.

Pronto, prometi que não ia entrar na discussão cristianismo X espiritismo, e eis-me aqui! Daqui a pouco faço um post. :-)

Volte sempre!

Marcelo Hagah disse...

Norma,

Estive ano passado em Recife, para um encontro da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil (minha esposa é pastora) e lá um pastor me informou que o Caio Fábio arranjara um emprego numa igreja anglicana local (aliás, Na Igreja Anglicana, pois é uma igreja muito grande, a maior do Estado, pastoreada por aquele pastor que brigou com o Robinson Cavalcanti)... pois bem, o pastor me disse que o Caio Fábio recebia R$ 15 mil mensais para aparecer dois domingos por mês, pregar e se mandar. Aqui em João Pessoa-PB, o pastor João Filho, líder de uma das maiores igrejas batistas do Estado convidou o Caio para pregar. Contou-me alguém da igreja que ele se atrasou - dormi demais no Hotel, disse ele, chegou atrasado, foram buscá-lo. Quando chegou, bastante tarde para os padrões, mesmo de uma festa, ele pregou sobre subjetividades, filosofias, ideologias e que tais, e chegou lá sem a Bíblia - não citou nenhum versículo, disse-me a irmã informante. Este é o Caio Fábio moderno. Alguém quer comprar Confissões do Pastor? Vendo baratinho.

João Emiliano disse...

Prezada Norma,

Parabéns pelo artigo. O aborto é um crime que sempre oscila entre o dolo e a culpa, sendo que o Pai Amado em seu julgamento saberá dar a cada um conforme as suas obras já nós ensinara o mestre Jesus.
Sobre o que você freqüentemente coloca Cristianismo X Espiritismo eu considero que é apenas como diria Nietzsche (pelo menos essa foi uma das poucas coisas que esse Espírito acertou em dizer) em relação às oposições há apenas uma diferença de grau, pois na época dos judeus e dos cristãos primeiro católicos e depois protestantes não havia a maturidade necessária à inteligência humana para compreender os fenômenos da alma imortal então a linguagem era alegórica, mas enfim minha muito prezada irmã Norma não vamos ligar muito para o que nos separa que perto do que nos une, por exemplo, a luta contra o governo mundial e o esquerdismo globalizado é, de fato, apenas acessório.
Não seja tão dura com nós espíritas, pois o Espiritismo é a religião de seus avós.


Com os melhores votos do,

JOÃO EMILIANO MARTINS NETO

rafael galvão disse...

Sabe, eu acho que Caio Fábio jamais se recuperou dos escândalos que sofreu na década de 90. Ele sempre comete esses tipos de "gafes" (sendo eufêmico). Já cometeu em relação ao homossexualismo, segundo o Julio Severo, já pregou panteísmo, e agora sobre o aborto. O que é pior é que uma vez eu na livraria evangélica da cidade, um livro de Caio Fábio sobre o aborto.
Veja a sinopse do site "Minas de Leitura":
"Uma paixão... um descuido... uma gravidez... uma angústia... um desespero...

O começo e o fim de uma vida, uma entre três milhões que morrem a cada ano no Brasil, vítimas de um assassino pré-natal chamado Aborto.

Mais uma criança que poderia sorrir, engatinhar, correr, brincar, cantar e crescer. Mais um ato de violência cometido contra quem nada pode fazer para se defender.

Aborto, palavra enganosa que promete alívio, solução, salvação da desgraça... palavra que torna o brilho do olhos, a graça dos movimentos e a inocência de cada criança um aguilhão a penetrar a consciência de milhares de vizinhas, colegas, alunas e filhas nossas, ameaçando roubar-lhe a sanidade mental e a estabilidade emocional.

Aborto, palavra que responde ao grito silenciosos que se repete nas madrugadas de insônia... "Meu Deus, eu matei meu nenê!"

Aborto, vergonha nossa que nos afasta da sensibilidade, da sensatez e de Deus."

Eu não sou da época de Caio Fábio, mas sempre escutei elogios maravilhosos ao que ele fazia, sobre suas pregações e seus trabalhos. Eu li um livro dele "Síndrome de Lúcifer", e é muito bom. Hoje, ao ver Caio Fábio me decepciono. Ainda bem que eu aprendi que "maldito o homem que confia no homem" (Jeremias 17:5, se não me engano)

Ivonete Silva disse...

Execelente post Norma,
Uma das palestras mais interessantes que já vi sobre aborto a partir de uma cosmovisão cristã foi a ministrada pelo Professor Lourenço Stelio Rega, que escreveu o livro Dando um jeito no jeitinho Brasileiro. O professor Lourenço tem formação na área de Ética. As cenas que ele mostra na palestra são chocantes, e seus argumentos brilhantes e biblicamente corretos.
O Aborto é algo tão chocante que toca até mesmo o coração dos ímpios. Veja o Exemplo do Romário, que tem uma filha com síndrome de Down. Realmente o Caio Fábio está muito longe do caminho da graça.

Denny disse...

Artigo maravilhoso! Lucidíssimo! Altamente edificante. Eu fui edificado. Parabéns e obrigado! Que o Pai das luzes celestiais (Tiago 1:17) continue a te abençoar com a sabedoria que vem de cima (Tiago 3:17).