21 outubro 2013

Sim, maquiagem!

Já escrevi brevemente sobre maquiagem aqui. Aproveitando que estou empolgada por ter falado às mulheres na Conferência Fiel, será divertido voltar ao assunto!

Esses dias, ouvi uma pregação em inglês do pr. Paul Washer sobre esposas - muito boa, recomendo! - em que ele faz uma brincadeira. Perguntaram-lhe se usar maquiagem era pecado, e ele respondeu: "Para algumas mulheres, não usar maquiagem é que é pecado!"

Importante: se você tem dúvidas sobre isso - se usar maquiagem é pecado - , pare tudo e leia o artigo excelente da minha amiga Elizabeth Portela sobre o uso de cosméticos e enfeites femininos. Esse texto lhe dará uma boa base bíblica para compreender o desejo de Deus para nós (em passagens como 1 Timóteo 2.9-10 e 1 Pedro 3.3-6) e evitar o triste extremo de abster-se de enfeites (ascetismo).

Na verdade, em resposta à pergunta, eu diria para todas as mulheres (não só algumas) que é um desperdício não aproveitar as benesses desse instrumento maravilhoso da graça de Deus que é a maquiagem. Somos pecadoras, e um dos efeitos do pecado é que nossa pele não é perfeita. A maquiagem pode não só cobrir olheiras e uniformizar a cor do rosto, mas também realçar nossos olhos ou nossa boca, devolver-nos uma corzinha "de saúde" nas bochechas, aumentar nossos cílios(os meus são quase inexistentes sem rímel) e, em geral, nos ajudar a enxergar melhor nossa beleza feminina.

Mas meu objetivo aqui não é ministrar um curso de automaquiagem - aprendi a me maquiar na internet, aliás -, e sim ir um pouco mais fundo na questão. Há mulheres que não se maquiam nem se arrumam, mas desprezam o aspecto estético em relação ao próprio corpo. Eu era uma dessas mulheres antes de me converter - e Deus iniciou em mim um processo longo de descoberta da minha feminilidade, um processo que incluiu o uso de roupas bonitas e cosméticos. Queria passar para vocês aqui um pouco do que aprendi: que não usar maquiagem pode apontar para vários pecados reais na sua vida, como apontava na minha.

Deixe-me ver... Por que você não usa maquiagem?

1. Você não se acha bonita

2. Você não se importa com a imagem que passa aos outros, incluindo seu marido

3. Você acalenta uma ideologia que exalta o "natural" e o "espontâneo"

4. Você acredita que a beleza exterior é um luxo desnecessário

5. Você tem medo de ficar bonita porque isso desviaria a atenção de quem você é interiormente

6. Você tem medo de ficar bonita porque isso chamaria a atenção dos homens e a tornaria vulnerável

Em uma postagem futura, vou abranger com mais detalhes cada um desses motivos. Aguardem!

15 comentários:

LeoJoseph disse...

Norma, saindo da questão da maquiagem e indo para outro assunto relacionado à beleza feminina: o silicone. Você acha pecado a mulher implantar silicones nos seios e em outras partes do corpo? E o tratamento com outras substâncias, por exemplo, o botox?

Norma disse...

Oi, Leo!

Se eu não creio que é pecado usar maquiagem (que é um artifício), seria incongruente crer que silicone, botox e outros procedimentos são pecado. Mas, de fato, diferentes da maquiagem, esses são procedimentos invasivos - cirúrgicos -, e, além de não fazer, eu recomendaria às mulheres cristãs muita cautela (por causa da questão da saúde) e um exame profundo de suas motivações, já que a decisão pode partir de um desejo de conformação a um determinado padrão físico fornecido pela cultura. Afinal, os cristãos precisam se acostumar a ser contracultura em todos os sentidos, para não cair na armadilha da uniformização para a qual nos empurra o espírito de cada época. E hoje a cultura tem sido muito cruel com o corpo - a ideia é de uma plasticidade infinita (ao ponto de se acreditar que um homem realmente possa virar mulher através de cirurgia, e vice-versa), além do terror às marcas do envelhecimento, com o correlato culto à juventude. Penso que, nesta cultura, aceitar nossos corpos tais como são e envelhecer naturalmente são posturas que podem fornecer um belo testemunho a homens e mulheres de nosso tempo. Mas não poderia dizer que os procedimentos em si são pecado, se não eu cairia no outro extremo.

Abraço!

Juliana F. Ribeiro Lima disse...

Pq eu tenho preguiça, Norma, haha..... :P Coisa feia admitir isso, mas é verdade. Acho, sim, que me faz mais bonita tb e que é um dom, sim. Mas e disciplina pra acordar mais cedo, hein? E pra não ir dormir maquiada? Pois é... :P

Carl Pedro disse...

haha! Não tenho como não perguntar. O que você achou do vídeo da cantora Ana paula que num congresso de mulheres ensinou a uto-maquiagem? Relevante ou desnecessário pra aquela ocasião?

Abraços, Carla.

Norma disse...

Ju, eu também tinha preguiça, mas deixei de lado porque o resultado é muito gratificante. Além disso, tenho prazer em me maquiar, escolher as cores de sombra e blush, inventar combinações diferentes, como se eu estivesse fazendo arte no meu rosto. :)

Carla, não vi o vídeo, posta o link?

Carl Pedro disse...

Olha o link, Norma: http://www.youtube.com/watch?v=JszhXSAAK2U

Hendrika Vasconcelos disse...

Ahhh, nesse eu vou comentar! hehehe! Eu não tenho regra de usar ou não usar. Quando tenho um tempinho a mais e paciência e vontade, eu uso! Quando não, não uso! Huehuehue. Na verdade, como eu suo muito no rosto (e já tive muito problema com espinha e cravo quando passava coisa no rosto antigamente), prefiro não usar, porque me incomoda muito e tenho a mania de passar a mão no rosto bastante. E como não acho essencial, tampouco desnecessário muitas vezes, já que incomoda e acaba borrando (hoje mesmo, está escorrendo suor pelo meu rosto), acabo nem usando tanto. Um lápis de vez em quando e um batonzinho ou um gloss é o suficiente pra mim, hehe, mas ambos não duram mais que uma hora comigo, kkkk. Mas no geral, acho bonito e bacana quem usa. ^_^ Bom post!! Tu tem que fazer um videozinho com dicas básicas! :D

Norma disse...

Hahahaha, lindinha! Imaginei direitinho você falando ao ler seu comentário! :-D Quanto ao vídeo, well, já tem tanta gente por aí que faz isso super bem... Hehehe! Beijão, querida!

Alceu Lourenço disse...

Oi, Norma. gostei do seu post (e do da Beth), mas acho que, para o nosso contexto (a indústria cosmética do Brasil só perde para os EUA) está faltando equilíbrio.
Dê uma lida neste texto de aconselhamento cristão sobre o anseio por aprovação que PODE se esconder sob os cuidados com a aparência:
http://www.rickthomas.net/2009/12/24/pornografia-reversa/

Norma disse...

Alceu: calma! Não dá para dizer tudo em uma só postagem. Já tenho preparado para amanhã um post sobre o outro extremo.

Quanto à cultura, você esquece que na igreja ainda há muita gente, principalmente no interior, que acredita ser pecado a mulher se arrumar.

Obrigada pela dica do artigo!

Norma disse...

P.S. O link não está funcionando.

Ivonete Silva disse...

Como a sua história nesses termos parece com a minha... rs.
Eu só não sei ainda me maquiar como você, mas um dia eu chego lá.
Beijos.

Norma disse...

Eu te ensino uns truques, Ivonete! ;-)

Leonardo Bruno Galdino disse...

Norma,

muito pertinente esse seu post. Dentro da minha família eu tenho exemplos de pessoas totalmente escravizadas pelos ditames do "não toqueis nisso, não proveis aquilo". Pessoas que cresceram num ambiente religioso totalmente legalista. Mas são pessoas que você percebe nitidamente que gostariam de se libertar daquilo. Só que não fazem por puro medo dos homens, e não se dão conta de que estão sendo idólatras por isso.

Minha esposa foi criada num ambiente assim. E só veio a usar maquiagem, calça, brinco e etc. quando casamos! Pergunte pra ela o quão libertadora essa experiência foi e ela dirá. Hoje, ela se entristece ao ver que outros dentro da casa dela não tiveram essa mesma felicidade. E estávamos comentando justamente sobre isso ontem, eu e ela. É triste!

E escreva mais sobre isso, Norma. Please. Grande abraço!

Norma disse...

Obrigada pelo testemunho bonito, Leo! Fico muito feliz! :-)