02 outubro 2013

Mutilação consentida

Li este artigo, de Reinaldo Azevedo, sobre um processo de "mudança de sexo" na Argentina. O menino tem seis anos e a mãe acredita que já tem bases suficientes para declarar que ele é, na verdade, uma menina em um corpo de menino. Seu registro já foi mudado: chamava-se Manoel, agora se chama Luana.

O fato tem implicações de vários tipos. A primeira que me vem à mente é a extrema maleabilidade com que o ser humano tem sido considerado em nossa época. Estruturas criadas por Deus, mesmo as mais básicas - como as que são atestadas pela biologia - , são negadas e diluídas na crença de que podemos "nos refazer" até mesmo nisso: se homens, virar mulheres; se mulheres, virar homens. Tudo isso com o apoio entusiasmado da tecnologia biomédica, da psicologia, da política. A segunda é: o que se passa na cabeça de uma mãe que consente nisso? Mãe que usa seu poder pátrio para ordenar a castração do filho - não parece uma história incrível demais, até mesmo para o dr. Freud?

Ao menino só está reservado o sofrimento: a mutilação de seu órgão sexual não o ajudará a criar uma identidade feminina que concilie o corpo com o coração, pois toda conciliação só é possível através de Cristo, o que passa necessariamente pelo arrepender-se dos sentimentos que o fazem rejeitar seu sexo. Que Deus o ajude! E que Deus desperte esta geração do sonho louco de uma plasticidade tão extrema que só pode apontar para uma idolatria também extrema e, como tal, extremamente destrutiva.

4 comentários:

Marcio Pereira Gonçalves disse...

Também me entristeço diante dessa notícia! Há que ponto a humanidade está chegando. Parabéns por sua observação, Norma.

cristianismo-relevante disse...

Cara Norma. Em uma sociedade pós-moderna não há problemas algum nisso. Quando ele crescer ele poderá novamente decidir e operar para ser homem. E, depois, se desejar, novamente irá operar para se tornar mulher. Há pouco tempo, lembro-me da história de um casal de homossexuais: "ela" um homem que tinha operado para se transformar e "ele" uma mulher que também tinha feito operação para mudança de sexo. Quer algo mais "atual" do que isso?

israel_holanda disse...

Confesso que não consigo imaginar de onde isso vem e nem a quem seja interessante, a não ser ao diabo, a imposição desta idéia de “liberdade sexual às raias da loucura”, mas, sei que TODA a população e me parece, em TODO lugar, está sendo doutrinado, através da mídia, a aceitar esses absurdos como verdade, lembre-se que já estão manifestando, com alegria, a idéia de que uma criança de 5 anos deve ter o direito a experimentar relação sexual homo e que pode ser com um adulto, então, o que mais me incomoda é a apatia da Igreja nessa questão, a não ser em esporádicas falas e mesmo por pessoas controversas da mídia ... Parece-me que existe uma “aura/poder maligno” que está deixando a maioria das pessoas e mesmo a Igreja “anestesiada” e assim, não conseguimos esboçar uma reação com relação a isso ... Estranho ! ... DEUS nos dê discernimento e autoridade para não nos calarmos, em nome de JESUS CRISTO !

Levino Carvalho. disse...

NORMA,a paz!Pelo pouco que tenho compreendido o tradicional e o ético está sob o ataque do homem autônomo, que pretende levar acabo o desejo adâmico de ser Deus, ai enxergamos coisas como essa, a minha pergunta Norma é que nesse ritmo de desconstrução de princípios o homem carecera de novos princípios e limites logico esse sera totalmente anti-cristão,mas de onde vira?
há ainda não posso comentar no face seus post,:p!