15 outubro 2013

Conferência Fiel (II), ou: Meu maior desafio

Ouvi em casa ontem a última pregação da Conferência Fiel 2013: A audaciosa alegação do Evangelho, de Dave Harvey (autor de Quando pecadores dizem sim, que li com André logo que nos casamos).

Pr. Harvey falou de Atos 20.17-25, que é a despedida emocionante do apóstolo Paulo antes de partir para Jerusalém, onde ele não sabia o que o esperava além de cadeias e tribulações. (O resumo da pregação está no link indicado, junto com o vídeo.) No final, pr. Harvey nos apresenta a pergunta: Qual é sua Jerusalém atual? Qual seu maior desafio hoje? Porque o maior desafio na vida de um cristão não é necessariamente um chamado para abrir uma igreja em meio à selva africana. Nossos medos e tribulações têm origens e características as mais variadas.


Ontem, então, quando meu marido chegou em casa, eu lhe contei por alto o teor dessa pregação e lhe confiei algo que nós dois, a essa altura, já estamos carecas de saber: meu maior desafio.


Qual meu maior desafio hoje? Não, não é construir uma carreira de sucesso (desisti - com alegria! - de ser professora universitária), nem falar em público (tarefa que desempenho com certa desenvoltura por ter dado aulas por muitos anos), nem escrever livros (publiquei o primeiro ano passado e, sinceramente, escrever é o que mais amo fazer na vida).


Nada disso. Meu maior desafio, hoje, é... Ser uma boa dona de casa.


Sim, é isso mesmo que você leu. Ser uma boa dona de casa!


Como tantas mulheres de minha geração, eu fui criada para tudo, menos isso! Minha mãe sempre foi uma excelente dona de casa, mas me poupava da maioria das tarefas. Cresci sem saber como varrer direito uma casa, sem pegar em um ferro de passar, sem usar a máquina de lavar e sem a menor ideia de como tirar manchas das roupas. Sei cozinhar até bem, e gosto disso, mas, como prefiro estudar e escrever, e por conta da constante desorganização prática, vivo queimando o feijão (o último foi queimado no sábado), deixo estragar comida porque não administro a quantidade comprada e muitas vezes me enrolo durante o dia, precisando pedir ao marido que busque comida prontinha no self service aqui ao lado (quando eu sei que ele prefere mil vezes os pratos que eu preparo).


Como sempre, ele me lembra que sabia de tudo isso quando se casou comigo e que eu tenho qualidades muito mais importantes que o bom manejo das tarefas domésticas. Por outro lado, a casa precisa de uma administradora pelo menos razoável e eu sofro quando vejo que meu empenho está aquém do suficiente - até mesmo quando apenas supervisiono o trabalho da faxineira!


Sei que Deus ainda precisará mexer demais em meu coração para que o resquício dos anos feministas deixe de sussurrar em meu ouvido que cuidar da casa é tarefa indigna para uma mulher intelectual. É essa "minha Jerusalém" hoje: compreender que o amor conjugal comporta essa dose de sacrifício. Mas, para tornar as obrigações mais leves, carrego comigo o iPad e ouço pregações enquanto arrumo a casa. Essa foi ouvida na cozinha em meio à lavagem de uma pilha de louça. Deus seja louvado!

16 comentários:

Unknown disse...

Norma, toca aqui! Exatamente o que vc disse, fomos criadas para tudo, menos para sermos mães/esposas/donas de casa. Tem sido um grande desafio para mim desde que me casei, há oito anos. As cobranças familiares são um desgaste e tanto no processo, porque ninguém se conforma com minha terceira gestação, com o fato de não termos empregada e blá blá. Dizem que sou mais capaz que "isso". Nossas igrejas andam carentes das mulheres mais velhas que ensinam as mais novas a amar marido e filhos e a cuidar da casa. Graças a Deus encontrei duas queridas que são modelos de fé e serviço! Uma tem a mesma idade de minhas avós. A outra tem a idade de minha mãe. Ambas cuidam da família com tanto amor que sempre que posso (uma mora fora do país) passo um tempo com elas, observando, ouvindo, absorvendo. Aqui, seguimos da mesma forma, com mensagens em mp3, livros e Bíblia no Kindle (não perco tempo tentando encontrar a página que os filhos desmarcaram e otimizo a leitura) e para salvar o arroz eternamente queimado, panela elétrica...rs... Deus te abençoe e ilumine!

Rafael disse...

Perfeito Norma! Bom é ler algo assim depois de ficar pensando sobre a forma como o evangelho atinge e influência a nossa vida em tudo, principalmente nas coisas mais simples! Foi um balsamo! Deus abençoe. ^^

Viviane Vivone disse...

Norma, em primeiro lugar, obrigada por me adicionar como sua amiga no facebook. Quando meu Bispo Walter Mclister elogiando sua palestra quis ouvir tb e ousei solicitar sua amizade. Fiquei mt feliz qndo vi q vc me aceitou. Seu post de hoje é parte da minha história. Se eu tivesse redigido não seria tão fiel a minha realidade (até nos argumentos dos nossos maridos...rs). Ri aliviada por ver minha angústia compartilhada por uma mulher de Deus como vc, porque nesse quesito, os olhare são sempre de crítica, o que só me faz sofrer mais. Obrigada. Fui mt abençoada. Que mais post venham! Bjsss. Viviane.

CARTAS AO MUNDO disse...

Do Lar para......

Norma faço isso ha 3 anos. Na parte da manhã arrumo a casa e geralmente ouço mensagens do Pastor Augustus Nicodemus ( acho que já ouvi todas as que estão disponibilizadas na página dele e as do youtube) amo ouvir as mensagens do pastor Paschoal Piragine Jr. que estão disponibilzadas na Pib Curitiba, as mensagens me edificam tanto que enquanto estou fazendo os afazeres domésticos, muitas e muitas vezes meu coração incendeia e me faz parar as tarefas e copiar tais mensagens para poder compartilhar com as pessoas. E depois "esqueço" os Cds em ônibus, dou a irmãos da Igreja, simplesmente vou distribuindo. Só que isso tem tido uma proporção maravilhosa. As pessoas que ainda tenho contato me relatam que fazem cópia e distribuem a outros. Nossa o trabalho para o avanço do Reino de Deus é tão magnífico que por muitas vezes me deixa com o coração a bater descompassadamente e extasiada com o poder do Evangelho de Cristo, pra você ter uma ideia dei um desses cds a um irmão que lava carros na Cidade de Deus ( Jacarepaguá - RJ), ao qual já estava acostumado abrir sua garagem e colocar cultos que são ministrados pela rádio, de pastores que pregam a mensagem gritando, nada contra, porém um dia em que levei meu carro para lavar, ouvi seu testemunho de como o Senhor o salvou das drogas e da morte. Pensei: - Vou levar um cd do pastor Paschoal afim de que com calma ele possa absorver a Palavra. Norma você não tem noção da proporção que este cd tomou. Ele colocou o cd na garagem em frene de onde ele lava os carros e alto, do mesmo jeito de antes. Hoje as pessoas que passam a pé, param e perguntam que rádio é essa? Outro dia parou uma senhora que ia dirigindo o carro na rua , deu a ré e perguntou a ele qual era a rádio e disse que a voz era a do Pastor dela de Curitiba; ele me relatou também que sua mãe que mora na casa de trás e que é da religião Testemunha de Jeová, fica sentada na cama todos os dias com a Bíblia ouvindo a mensagem e dizendo:- é verdade; outro dia veio um fregues com um carrão e disse que ficaria dentro do carro durante a lavagem, ouve um momento em que a esposa do irmão teve que abrir a porta para limpar e viu o cliente chorando, e ali ao ouvir a mensagem desabafou a sua angústia, esse senhor acabou levando o cd para copia-lo. Nos dias em que ele não coloca os cds, os vizinhos perguntam: hoje não vai ter mensagem? Norma um dia filmarei o testemunho desse irmão pois são muitas as histórias. Deste modo podemos confirmar que o Senhor fala com a mulher que está em casa organizando, edificando e sendo a sábia que está em provérbios. Dentro do lar o Senhor nos transforma, nos capacita e nos faz ser como as cordas humanas de Oséias 11:4. Um abraço muito bom te conhecer, Deus me proporcionou conhece-la através da Conferência da fiel. Obrigada! Que Deus rica e abundantemente te abençoe! Rita

Aninha disse...

Bom dia, Norma! É a primeira vez que eu entro no seu blog (sem ser pelo celular) e já tratei de segui-lo. Eu já me identificava muito com você ao acompanhar suas postagens no Facebook, mas o que foi isso nesse post? Se eu tivesse mostrado ao meu marido dizendo que fui eu que escrevi, ele só iria refutar duas coisas: o fato de ter escrito um livro e de dizer que minha mãe foi uma boa dona de casa. O resto é tudo igual. Também fui educada para trabalhar fora de casa, fui professora universitária por cinco anos da minha vida, não passo vergonha se precisar falar em público, e tenho enfrentado brigas internas e provações - Deus me moldando para desempenhar o papel da mulher cristã conforme a Bíblia nos ensina. Mas ouvir a última pregação do Dave pela internet, lavando uma pilha de louça bateu todos os recordes!!!!! Gostaria que você soubesse que tem sido um excelente influência na minha vida e na minha família! Um grande abraço!

Norma disse...

Rafael, muito obrigada!

Queridas irmãs, eu me emocionei várias vezes com seus relatos! Quero responder uma a uma, mas estou correndo aqui; se der, volto ainda hoje para responder!

Grande abraço a todos!

Ivonete Silva disse...

Normita, todas nós temos esse desafio! Me identifico com você e sinto um peso maior, porque aindo sinto muita resistência em largar a minha carreira, embora hoje ela não seja nem sobra do que um dia já foi. Como não consigo conciliar tudo, fico extremamente frustrada, e isso é motivo de choro e inquietação para o meu coração.

Tais Andrade disse...

Muito obrigada! Estamos juntas nessa batalha e creio que Deus tem levantado mulheres inteligentes e sábias como vc para nos encorajar! Deus lhe abençoe muito e q sejamos verdadeiras rainhas do lar de acordo com a nossa vocação para a gloria de Deus! Abraços a vc!

Levino Carvalho. disse...

Norma querida achei muito bacana você com postagens como essa, pessoais,você constrói uma ponte entre seus leitores e você, criando um vinculo maior de amizade, acho ainda o distanciamento e a impessoalidade um dos maiores males do nosso seculo, e creio que ainda é usado esse distanciamento por muitos para manter uma postura elevada, o próprio Senhor declarou que a amizade envolve conhecer revelar-se, á eu casei faz dois anos com uma moça linda que não tinha mãos de fada comi arroz papa os primeiros 7 dias e o feijão até hoje é meio seco as vezes, isso faz parte, dos males ser uma ruim dona de casa ainda para mim é um dos menores! abrçs a você e seu esposo!

Luciana Figueiredo disse...

Dra. Norma, sofro com isso, mas ainda não casei. Tô frita!

Joilson Oliveira disse...

Quem não tem sua Jerusalém que atire o primeiro seixo rsrsrs, valeu norma! Quase sempre Deus nos molda com disciplinas indiretas como por exemplo arrumar a casa.Acredito que eu no momento careço de disciplina mais rigorosa. O elogio as vezes é uma pedra de tropeço, mas aprendo muito com seus escritos e aproveito esta oportunidade para parabenizar seu esposo por apoiá-la no seu ministério.

Marcio Pereira Gonçalves disse...

Parabéns!!! Que legal você demonstrar a sua humanidade, através destas palavras, assim como esposo eu vejo o meu desafio de ser um marido, para minha esposa em todas áreas. Abraços a você e ao André!

Petrônio disse...

Palavras edificantes, irmã. Mostrarei esta postagem para minha esposa, que, diga-se de passagem, é uma excelente dona de casa.

Deus continue a te abençoar!

Elida Rocha disse...

Olá Norma!!
Eu sou a Élida e estive na Conferência Fiel na semana passada, e realmente foi imensamente abençoadora!!!
Lá tentei falar com voce, mas não consegui :(
Compartilho todas tuas palavras postadas hj de manhã, sou mãe de 3 filhos, trabalho 7h/dia e acumulo todas as funções de esposa e mãe com frequente sensação de fracasso por não dar conta de tudo...
Bem, meu contato é pq gostaria de convidar vc para falar num congresso para mulheres em minha igreja. desculpe entrar em contato por teu blog, mas não achei um outro meio pela net. Como poderia fazê-lo.
te aguardo.
Deus te abençoe!!

Norma disse...

Oi, Élida!

Manda outro comentário para cá, com seu email, que eu entro em contato na mesma hora.

Abraço!

Rauni disse...

Louvado seja o Senhor!!
Que possamos nos tornar aquilo que Deus deseja em nossos papéis e vocações através da renovação de nossas mentes.

Ao ver algumas mensagens da Conferência Fiel 2013 pude dizer:
- Como Deus é grande e excelente em caráter, palavras e obras!