28 outubro 2013

Santas chatices


“A ignorância da providência é o extremo de todas as misérias, e a suma bem-aventurança está em seu conhecimento.” João Calvino, Institutas, I, XVII, 13

Minha vida é cheia de chatices por causa da saúde. Sou enxaquecosa e tenho várias intolerâncias alimentares. Isso significa que, se você vai me convidar para passar um tempo na sua casa – os amigos mais chegados já sabem – , há um verdadeiro manual de instruções para meu bem-estar...

A coisa já começa com o horário das passagens. Se eu tiver que acordar no meio da noite ou se meu voo varar a madrugada, no dia seguinte é certo que terei uma baita dor de cabeça. Preciso dormir cedo e acordar cedo, e sempre no mesmo horário. Rotina, a grande amiga dos enxaquecosos: essa é a primeira limitação.

A segunda diz respeito ao que eu como e me torna o terror dos garçons nos restaurantes. Vocês usam óleo de soja para preparar a comida? Não posso nada com soja: desregula totalmente os hormônios e me dá enxaqueca. Tudo tem de ser preparado no azeite. Vocês usam temperos artificiais? O glutamato monossódico é um veneno para mim, ativador das piores crises! Além disso, preciso ficar longe do glúten, do leite e seus derivados (um queijinho ou manteiguinha de vez em quando, vá lá), e preciso ficar atenta para não consumir muito açúcar. Ah, café, nem pensar.

Ufa! É uma vida um tanto ascética. Mas eu agradeço muito a Deus por tudo isso. Por dois motivos; o primeiro, mais óbvio, é que essas suscetibilidades me obrigam a comer muito saudavelmente: sem restrições para frutas, legumes, carnes e ovos. (Medo do colesterol? Dr. Alexandre Feldman, especialista em enxaqueca, desfaz esse mito e recomenda há anos a gordura animal e o ovo. Se você tem dúvidas, até a imprensa não especializada está divulgando essas informações.)

O segundo motivo é menos óbvio, mas não menos importante: através desse cuidado que preciso ter comigo mesma e recomendar aos outros, Deus trabalha meu coração para acolher mais serenamente minha fragilidade. E Ele sabe o quanto isso era difícil para mim.

Claro que não pretendo esgotar os sentidos de Deus para essas santas chatices. Afinal, como cita Calvino em suas Institutas (I, XVII, 2), os juízos divinos são “abismo profundo” (Sl 36.7). Mas discernir alguns deles – e concordar com Deus quanto a sua necessidade – já é motivo de grande alegria!

Um comentário:

Marcio Pereira Gonçalves disse...

Legal, minha esposa também sofre com enxaqueca, claro não com a mesma profundidade que a sua, mas quando vem as crises, nossa sinto junto com ela... Abraços e que o Senhor te abençoe você e sua família.