07 agosto 2013

Recheando a teologia (2)


Como seria se, em nossas salas de aula, na igreja mesmo, "recheássemos" nossa teologia com boa literatura? Por exemplo, usando um poema tão pungente de Fernando Pessoa como este, abaixo, para iniciar uma discussão (com a Bíblia em primeiro lugar, sempre) sobre o pecado original e a hipocrisia? Sem vergonha nem medo de colocar a arte a serviço da verdade naquilo que a arte sabe melhor fazer: através da beleza, instigar uma resposta pessoal, do coração. Que tal?

Será que posso sonhar com aulas assim na igreja?



6 comentários:

Yago Martins disse...

Citei dois poemas de "Augustos dos Anjos" apresentando um trabalho no seminário sobre Solidão e Depressão. Conta? :p

Norma disse...

Conta sim, querido amigo! Vindo de você, eu não poderia esperar menos! :-)

Leonardo Bruno Galdino disse...

Norma,

um dos meus sonhos era estar numa sala de aula (de cursinho pré-vestibular ou ensino médio) dando aulas sobre interpretação de texto aos meus alunos. Pessoa, Augusto dos Anjos, Drummond - tudo a partir de uma perspectiva cristã. Por exemplo, eu pegaria a música "Vivo", de Lenine - que, para mim, é uma das mais tocantes descrições do primeiro ponto da TULIP do nosso cancioneiro popular (ouçam-na!) - e recheava ela toda de conceitos bíblicos, oferecendo àqueles alunos mais do que uma mera interpretação do texto: respostas para os seus dilemas.

Mas já que isso ainda está longe de acontecer (eu ser professor de cursinho ou ensino médio), procuro fazer isso na classe de jovens da escola dominical lá da igreja, onde comecei a dar aula domingo passado. É preciso mostrar aos cristãos que, como diz Marcos Almeida, "o dia todo é transparência pra esta Graça".

Muito bom o seu desafio, como sempre!

Abç!

PS.: Sobre o poema do Pessoa, é um dos meus favoritos. Inclusive, já me apropriei dele no meu blog: http://opticareformata.blogspot.com.br/2011/01/cristianismo-em-linha-reta.html

Marco Carvalho disse...

Simplesmente sensacional! Realizamos aqui na igreja algo semelhante na área do rock nacional (anos 80). Foi muito bom observar o quanto que da graça comum enxergamos os sinais do Reino de Deus.

Quando puder faça uma visita lá no blog.

www.cafeegraca.blogspot.com

Lazzarus disse...

São tantas peças e obras que dialogam com a Palavra... Sempre quis ver uma pregação em que o preletor usasse "O Grande Teatro do Mundo" do Calderón de La Barca (escrevi certo? rs).

Ps: Leonardo Bruno, que legal sua proposta.

Norma disse...

Que bacana, essas iniciativas me deixaram feliz!