09 agosto 2013

Castelo forte é nosso Deus

Hoje, fui inspirada por Ein feste Burg ist unser Gott ("Castelo forte é nosso Deus", cantata BWV 80), de Johann Sebastian Bach, composta com base no coral de Martinho Lutero. Bem ao estilo de Bach, a música é diferente do hino, não dá para cantar junto. Mas sua beleza complementa a beleza da letra, que sempre me faz chorar nos últimos versos:

Castelo forte é nosso Deus,
Espada e bom escudo!
Com seu poder defende os seus
Em todo transe agudo.

Com fúria pertinaz
Persegue Satanás
Com ânimo cruel!
Mui forte é o Deus fiel,
Igual não há na terra.

A força do homem nada faz,
Sozinho está perdido!
Mas nosso Deus socorro traz
Em seu Filho escolhido.

Sabeis quem é? Jesus,
O que venceu na cruz,
Senhor dos altos céus,
E sendo o próprio Deus,
Triunfa na batalha.

Se nos quisessem devorar
Demônios não contados,
Não nos iriam derrotar
Nem ver-nos assustados.

O príncipe do mal,
Com seu plano infernal,
Já condenado está!
Vencido cairá
Por uma só palavra.

De Deus o verbo ficará,
Sabemos com certeza,
E nada nos assustará
Com Cristo por defesa!

Se temos de perder
Família, bens, prazer
Se tudo se acabar
E a morte enfim chegar,
Com ele reinaremos!
Que também lhe seja inspiradora para este fim de semana e a nova semana que se iniciará!

Um comentário:

Luciana Figueiredo disse...

Eu aprecio este hino desde minha adolescência quando meu querido pastor Eudes (IPB - Mangabeira/João Pessoa) cantava na comunidade cristã, ensinado a história da Igreja Reformada. Imagino que Martinho Lutero não só sofreu perseguição por pessoas, mas pelo próprio Diabo (gr. daimon ou daimonion), nosso inimigo, com sua hostilidade ferrenha. No entanto, o conhecimento de Lutero da Palavra o fez também afirmar que "o diabo é diabo de Deus". Quando estudei Angeologia, pude ampliar o conhecimento de que Deus é Soberano sobre todas as coisas, toda a sua criação. E esse poder e autoridade está sobre os anjos também, claro! Com o sacrífico de Jesus, Cristo despojou "os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo." Colossenses 2:15
Nossos inimigos são seres derrotados cujo poder é somente permitido para os propósitos divinos e sua glória enquanto os santos eleitos pelejam a batalha. Não apegar-se as coisas desta vida por amor a Jesus é a essência da palavra "testemunha" em Atos 1.8: ser mártir, se preciso for.