08 setembro 2006

Evangélico preso por distribuir folhetos

Mensagem aos leitores cristãos votantes

Vejam a matéria abaixo. Um evangélico é preso somente por distribuir, de maneira gentil, singelos folhetos sobre o homossexualismo!

Na Europa a coisa já está assim. Um Estado policial se arma em todos os lugares para aprovar palavras e comportamentos, que se tornam verdadeiras leis, e ai de quem se levanta contra!

Nessa época de eleição no Brasil, a divulgação de tal notícia precisa vir acompanhada de um grave alerta: cuidado na hora de votar! Não apóiem nem divulguem candidaturas de políticos que defendem causas contrárias a Deus, como aborto, homossexualismo, socialismo (Estado onipotente e politicamente correto) etc. Senão, seu voto ou seu apoio estará ajudando a construir esse tipo de sociedade baseada nos preceitos do politicamente correto - e são os seguidores de Cristo que mais sofrerão debaixo de um jugo governamental e policial, que os obrigará a se calar ou manifestar aberta simpatia diante daquilo que desagrada a Deus.

Não contribua para que o Brasil se torne como a Europa do século XXI! Pesquise antes de votar e leia sobre regimes socialistas e comunistas, para saber como os cristãos eram e são maltratados por esses governos.

Se julgar importante, passe adiante essa mensagem ao maior número de cristãos que puder.

Com um grande zelo por nosso país,

Norma Braga


Evangélico é preso por distribuir citações da Bíblia condenando o homossexualismo
Foi preso sem jamais ter se conduzido de modo violento ou agressivo
Gudrun Schultz

GALES, Reino Unido, 7 de setembro de 2006 (LifeSiteNews.com) — Um conhecido líder evangélico, preso por distribuir folhetos num festival homossexual do carnaval Mardi Gras, foi acusado unicamente na base de que os folhetos apresentavam opiniões que se opõem ao homossexualismo, noticiou ontem o jornal Daily Mail.

Stephen Green, de 55 anos, diretor nacional da organização evangélica Christian Voice (Voz Cristã), foi preso por entregar folhetos intitulados “Amor do Mesmo Sexo — Relação Sexual do Mesmo Sexo: O que a Bíblia Diz?” para os que estavam saindo do festival homossexual no Parque Bute.

Green foi acusado de “conduta ou palavras ameaçadoras, abusivas ou ofensivas”, noticiou o noticiário da BBC.

A polícia de Gales admitiu que o Sr. Green foi preso porque os folhetos continham citações da Bíblia condenando a atividade homossexual. Um porta-voz da polícia confirmou que o líder evangélico não havia se conduzido de maneira violenta ou agressiva, de acordo com o Daily Mail, mas disse que o Sr. Green foi preso pela Unidade de Apoio às Minorias de Gales porque “o folheto continha citações da Bíblia acerca do homossexualismo”.

“Estou pasmado que a polícia de Gales tenha uma unidade especial dedicada a silenciar aqueles que não concordam com o homossexualismo”, o Sr. Green contou ao Daily Mail.

Ele questionou as ligações estreitas entre a polícia e os grupos homossexuais, dizendo: “Talvez eles estejam trabalhando perto demais, daí um evangelista pode se tornar vítima simplesmente porque está distribuindo folhetos que citam versículos da mesma Bíblia que as autoridades policiais usam para fazer juramentos nos tribunais”.

A polícia solicitou ao Sr. Green que deixasse a área do festival depois de receber “queixas do público”, e ele atendeu à solicitação. Então ele começou a distribuir folhetos fora da entrada da área, se recusando a parar quando a polícia de novo se aproximou. Depois de sua prisão ele foi interrogado durante quatro horas numa delegacia de polícia, e foi acusado de cometer crime, depois de recusar um aviso [para não repetir a distribuição de folhetos]. O Sr. Green não tem nenhum antecedente de violência ou agressividade em seu histórico de manifestações contra o homossexualismo.

Representantes dos evangélicos da Igreja da Inglaterra condenaram a prisão como “um ataque contra a liberdade de expressão e contra a liberdade religiosa”. O Reverendo Rod Thomas, porta-voz da organização Reforma (que representa 500 pastores da Igreja da Inglaterra), disse: “Por que é que os direitos gays são considerados como mais importantes do que a liberdade de expressão eu não sei. Há um perigo real de que aqueles que têm tentado apoiar os direitos gays por motivos liberais poderão se achar responsáveis por reprimir liberdades vitais”.

Colin Hart, do Instituto Cristão, assinalou que o folheto evitava o uso das citações bíblicas mais fortes que se opõem ao homossexualismo, dizendo: “É um folheto muito gentil. Não usa palavras como ‘perversão’. Tenho de ficar imaginando se as igrejas, bispos e arcebispos são agora vulneráveis à prisão por suas opiniões sobre a homossexualidade”.

A polícia britânica conduziu uma série de iniciativas nos meses passados contra aqueles que manifestaram ser opostos à atividade homossexual, noticiou o Daily Mail, inclusive avisos, visitas a lares e investigações. Sir Iqbal Sacranie foi investigado depois de uma entrevista em que ele disse que o homossexualismo era prejudicial. A escritora Lynette Burrows recebeu um aviso policial depois de dizer num programa de rádio da BBC que os homossexuais não preenchem os requisitos de pais adotivos ideais.

Depois que se queixou acerca das políticas de direitos homossexuais da câmara de vereadores de sua localidade, um casal evangélico recebeu em seu lar a visita de agentes da polícia, que lhes entregaram aviso.

O Sr. Green permanecerá preso aguardando julgamento até 28 de setembro.

Tradução e adaptação de Julio Severo: www.juliosevero.com; www.juliosevero.com.br

27 comentários:

João Emiliano disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Cláudio Peixoto disse...

Oi, Norma:

Esta notícia deixa bem claro que o movimento gay de há muito já não prega a tolerância, senão a aceitação compulsória sob as penas da lei.

É totalitarismo puro e simples.

um beijão,
Cláudio

Nagel disse...

De fato, Norma. A notócia me deixou assustado. A liberdade religiosa foi para a cucuia. :|

Fica difícil até de esperar que tais coisas não cheguem ao Brasil.

Abração.

wilson bento disse...

Oi Norma

Com o programa "Brasil sem homofobia" é questão de tempo (e pouco tempo) para que no Brasil se instale a mesma violencia contra pessoas que somente pretendem dar uma opinião.

Sabe mesmo o que eu acho? é que somos também culpados pela inversão dos valores sociais que agora predominam em detrimento ao que cremos. Pelo simples fato de que fomos tolerantes demais, nós permitimos sempre, em nome da democracia eclesiástica, que houvesse a expressão livre de conceitos que sabemos serem contrários aos princípios cristãos.

Agora seremos vítimas da intransigência deles, que não nos dão o mesmo direito de apenas falar. Nos amordaçam e nos prendem.

Acredito que é um caminho que não tem volta, agora nossa única saída é sofrer as consequências da nossa falha interpretação do do texto de Paulo, que diz:

Eph 6:12 pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes.

Conde Loppeux de la Villanueva disse...

A Europa é atéia e dominada pelo totalitarismo laico mais criminoso, enquanto endossa os piores fanatismos islâmicos. A velha e sábia sociedade européia está em ruínas: toda sua força foi roubada pelo materialismo; os europeus são infantilóides mimados pelo Estado; incapazes de assumirem responsabilidades autênticas com seus concidadãos, preferem adotar cachorros do que cuidar de velhos e conceber crianças; em nome dos agrados de um individualismo egocêntrico e destrutivo, o europeu médio aceita a onipotência do Estado pra vigiar as opiniões do vizinho, enquanto o velho Leviatã alarga seus braços para tod o corpo social, onde os cidadãos, de cristãos, acabam por se tornar turcos submissos.

Uma civilização que adota cachorros ao invés de filhos e aprova o casamento gay para fins de referência ou procriação, é uma sociedade condenada a decadência.

Eliot D. Chambers disse...

Conde Loppeux,

Perfeito. O welfare state é isso mesmo: uma fábrica de mini-déspotas frívolos, chorões e irresponsáveis. Para esses, o cristianismo torna-se uma aberração mesmo. E não precisamos ir até a Europa para constatar tal fato. É só olhar para as elites culturais brasileiras, que apóiam tudo o que não presta e não passam um dia sem verba estatal.

Mas há uns quem se dizem cristãos e idolatram a Geração Odara, que nos legou a catástrofe tucano-petista.

Norminha,

Será que só quando a Igreja for ferrenhamente perseguida que ela vai aprender a se posicionar com sabedoria, sem ser subserviente ao falatório hegemônico?

Parece que sim, não é?

Bjo!

Reginaldo Almeida disse...

Esse é um tema deveras espinhoso. Eu pessoalmente defendo um estado laico, da mesma forma que defendo a democracia.

Se o estado não for laico, de que religião seria? E se fosse mussulmano, imaginam só?

Quanto aos folhetos, quem dizia o que estava no folheto não era o senhor evangélico, era a bíblia. Vamos proibir o uso da bíblia?

Eu creio que tanto a liberdade de propagar a mensagem da bíblia, como a liberdade de ser homosexual, são a meu juízo, liberdades. Mas em algum ponto uma liberdade invade a outra (quando as pessoas assim o buscam).

Imaginemos o contrário, que um homossexual fosse à porta de uma igreja defender que o que a Bíblia diz é homofóbico e arcaico (ou viesse com aquele papo de que David e Jonatas...), ou melhor, que tentasse "arrebanhar" seguidores, como reagiriam os membros da dita igreja?

Em momento nenhum eu defendo ou apoio o homosexualismo, estou aqui apenas fazendo um exercício de empatia.

Eu às vezes penso que as pessoas procuram sarna pra se coçar.

Daniel Portela disse...

E se fosse um muçulmano distribuindo folhetos contra o homosexualismo? Será que a polícia o prenderia ou ficaria com o pé atrás para não incitar revolta na comunidade islâmica?

Abraço,

Daniel

wilson bento disse...

Tá certo, Reginaldo Almeida,
A igreja se cala, não evangeliza mais, faz o papel do "politicamente correto" com a sociedade...esse tipo de atitude é que faz do Brasil o maior candidato para ser o exemplo da igreja pos-moderna, falsa igreja!!!, claro.

Se um homossexual vai pra frente de uma igreja no máximo ele seria questionado por alguns cristãos sobre as suas convicções, mas ninguem colocaria ele na cadeia por crime de preconceito, até porque nem existe lei para isso, somente para o contrário.

Como voce classificou pecado de "liberdade", fica claro que seu "exercício de empatia" é somente uma cortina de fumaça para o seu posicionamento apóstata. Este tipo de infiltração disfarçada é que precisamos, como cristãos, aprender a combater...

Obrigado Norma por nos ter dado uma amostragem de como "eles" entram no meio da igreja para perverter os princípios da ortodoxia.

Fábio Vanzo disse...

E se fosse alguém distribuindo folhetos contra o cristianismo?

Nagel disse...

Reginaldo,

Sou cristão porque creio que a palavra de Cristo – tanto no Velho Testamento, por intermédio dos profetas, quanto no Novo Testamento, por intermédio dos apóstolos – é a verdade. Acho importante ressaltar isso.

Nessa questão do estado laico, há um fato interessante: a concepção de Estado no pensamento cristão reformado protege as diversas esferas da vida humana; conseqüentemente, resguarda a liberdade individual, a pluralidade religiosa, etc. Também penso ser relevante essa observação.

O esforço do movimento homossexual, no meu entender, já deixou de ser, há muito, uma luta pela liberdade individual. Passou a ser a imposição do pensamento de uma minoria. Eles querem, inclusive, obrigar a Igreja a reconhecer tal prática. O simples fato de você discordar é razão para um processo, ou qualquer coisa do tipo. Não há diferença entre um cristão e um skinhead, por exemplo.

Essa é a pergunta a nos fazermos: o Estado laico realmente resguarda as liberdades individuais? Eu tenho minhas dúvidas. Justamente pelo fato, indicado por ti, de que inevitavelmente uma liberdade vai interferir, restringir, impossibilitar a outra. O que me leva a concluir que há que existir princípios limitadores, sempre. Limites que preservem a verdadeira liberdade e que possibilitem o convívio social.

Quanto ao seu terceiro ponto, penso da seguinte forma: a Igreja deveria exigir seu direito de crer. E exigir, de igual modo, uma certa distância para que o sujeito, livremente, entregasse seus folhetos sem constranger os fiéis. E acho que aqui respondo também ao Fábio Vanzo. Certamente não mandaríamos prender, queimar, decapitar. Nada disso. Só pediríamos licença.

Eu escrevi algumas poucas coisas a esse respeito no meu blog. Seria interessante se os amigos lessem e comentassem. É só clicar aqui.

Abraços.

Cfe disse...

POR FAVOR, DIVULGUEM:

Projeto oculto do PT para legalizar o aborto em 2007 pode tirar votos de Lula e Jandira Feghali no eleitorado de baixa renda
Edição de Quarta-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/

Hernan disse...

Concordo com o Reginaldo Almeida.
Se fosse o contrário, se um militante gay fosse a um ajuntamento evangélico entregar folhetos pró-homossexualismo, da forma arrogante como os evangélicos fazem, estes por pouco não o apedrejariam.
Vejam que dificilmente um gay faria uma coisa dessas. Por pertencer a um grupo discriminado por séculos na cultura ocidental cristianizada o homossexual aprendeu a tolerância. Conheço muitos deles que não concordam com os religiosos, mas nem por isso deixam de respeita-los. Obviamente há os defensores de uma espécie de "fundamentalismo gay" que, contudo, não acho tão pernicioso quanto o fundamentalismo religioso.
Jesus, se aqui estivesse (e a Igreja deve atuar como se Ele atuasse), jamais iria a um ajuntamento gay entregar folhetos de "evangelismo" asseverando que aquilo é "contrário" a Deus.

Reflitamos e pensemos no que é que Cristo faria, não segundo nossas expectativas, mas segundo o que dEle está cristalino nas Escrituras, nas quais Ele é referido como Amigos dos pecadores.

Eliot D. Chambers disse...

Fábio,

Esse é o costume. Em qualquer esquina há um livro de Nietzsche ou Sartre. Era assim até quando a "religião oficial" do país era o catolicismo.

Reginaldo,

Se o cara quer ser gay, tudo bem. O que não se pode admitir é que ele, por causa dessa escolha, tenha mais direitos que os outros e rotule todo e qualquer cidadão que se oponha à essa postura de "homofóbico", como é o costume da militância GLBT.

Eu quero ver na Europa islamizada, como é que os progressitas que hoje são pró-jihad lidarão com os islâmicos, que consideram todo e qualquer gay um demônio que precisa ser morto imediatamente.

Mas esse é um problema da esquerda. Ela que se vire com seus devaneios multiculturalistas.

O Direitista disse...

Comentei esta notícia no meu blog depois de tê-la aqui lido. Ela não é importante apenas aos eleitores cristãos, mas a todos os que defendem o fundamento máximo da liberdade, que também sustenta a própria moral religiosa: o livre arbítrio, que, nos Estados livres, é traduzido por "liberdades individuais", como a liberdade de pensamento e expressão.

Carlos Souza disse...

Se fosse alguém distribuindo folhetos contra o Cristianismo não aconteceria nada, pois a ditadura do politicamente-correto não inclui os cristãos entre os grupos de coitadinhos-ditadores que precisam de superproteção (privilégio)...

Vale lembrar que o lobby gay tem se esforçado em fazer ir em votação o mais rápido possível um absurdo projeto de lei que passaria a considerar crime a "homofobia" (aversão, crítica ou rejeição ao homossexualismo). É o PL 5003/2001 da deputada petista Iara Bernardi.

Se acontecer a tragédia desse PL ser aprovado, cenas como essa descritas no artigo passarão a ser rotina também no Brasil. Qualquer pessoa que expressar alguma opinião que não agrade aos homossexuais poderá ir preso.

Acorda Brasil, antes que a ditadura da minoria se estabeleça de vez!

Reginaldo Almeida disse...

Wilson Bento,

Alto lá! Não sejamos fariseus!

A biblia diz que o homosexualismo é pecado, mas segundo a mesma bíblia, sexo antes do casamento também o é.

Quem atira primeira pedra?

Adoramos relativizar os nossos pecados e apontar para os pecados dos outros.

Eu apenas disse que o nosso direito acaba onde começa o do próximo, pecador ou não. Antes de ser cristão, eu defendo a liberdade, inclusive a liberdade de outras crenças. Ou queremos ressucitar a inquisição?

Até concordo que um de nossos papéis ó de ovangelizar, mas sinceramente, distribuir panfletos na saida de um evento gay é no mínimo acintoso, não? Pergunto novamente: e se fosse o oposto?

Acho que mais que cristãos, temos que ser cristãos inteligentes. A vida é um grande gráfico de pareto, por que não abordamos a evangelização assim?

O que à vezes me escandaliza é que na bíblia não há um ranking de pecados, mas algumas pessoas os ranqueam assim mesmo. E os outros pecados, não são igualmente importantes? Repito, não sejamos fariseus!

Daniele disse...

É verdade temos que orar e fazer a nossa parte para que o Brasil não seja mais um país a massacrar os cristãos.

Norma disse...

Sobre se o pastor fez bem ou não em distribuir folhetos num evento gay, a questão não é essa. Se é de bom-tom ou não, pouco importa. O que importa é se ele deveria ter ido preso por tê-lo feito. Em sociedades livres, ele não teria sido preso, pois o conceito "politicamente correto" não deveria ser caso de polícia - a não ser quando se trata de casos previstos por lei, como atentado ao pudor ou à honra. Fora disso, é arbitrariedade e fere o princípio da liberdade de expressão. E é isso que realmente importa, para a comunidade religiosa e para qualquer outra. Agora, precisamos tomar partido, conscientemente: somos a favor da liberdade nesses casos? Quem realmente acha que o pastor deveria ter ido preso por distribuir folhetos de modo pacífico e discreto em um evento gay, que levante a mão.

O Direitista disse...

Reginaldo Almeida,

1) a vida não é um gráfico de Pareto;
2) os pecados não são todos igualmente ruins;
3) concordo com a Norma: pouco importa se a distribuição de folhetos é de bom-tom, porque o que está em jogo é a liberdade de expressão;
4) se fosse um evento cristão e um ateu aparecesse para distribuir panfletos contrários à religião fora do evento, seria um direito seu e ninguém poderia impedí-lo. A religião não pode ser imposta sob pena de se atropelar o seu fundamento máximo: o livre-arbítrio.

Norma disse...

Vale a pena ler esse artigo sobre o episódio: http://www.overbo.com.br/modules/news/article.php?storyid=2062

Eliot D. Chambers disse...

Escrevi no comentário anterior: "Se o cara quiser ser gay, tudo bem". É claro que não penso que esteja tudo bem com que decide tornar-se um homossexual.

Só quis dizer que todo homem é livre para ser gay, se quiser. Mas tenho certeza que isso não é saudável, correto e natural.

Vale ressaltar que todo gay tem o direito de deixar de sê-lo assim que quiser. E ninguém deve repreender alguém que se disponha a ajudá-lo.

Há a livre adesão? Que haja a livre repulsa.

Reginaldo Almeida disse...

O Direitista:

1- Concordo que a vida pode até não ser um gráfico de pareto, mas como temos que encarar as coisas de forma objetiva, como dizem em inglês "first things first", eu creio que existem outras prioridades. Desta forma um grafico de pareto é o modelo que eu geralmente uso para abordar os problemas. Posso estar errado, mas comigo tem funcionado.

2- Os pecados, são sim iguais. Até onde eu sei, mesmo os pecados capitais (ou aqueles que a Bíblia chama a atenção de forma ostensiva) não estão ranqueados, desta forma, por exemplo, o "não adulterarás" não é mais ou menos pecado que o "não desejarás a mulher do próximo". Se eu estiver errado, por favor me corrija.

3- Corrijo a minha posição, também concordo com a Norma. Eu não podia, como liberal, defender outra posição. Porém, continuo me perguntando como reagiriam os cristãos de qualquer denominação se na saída da sua igreja houvesse uma manifestação de homosexuais acusando-os de homofóbicos, ou afirmando que a bíblia é anacrônica, e que essa parte do pecado do homossexualismo está "ultrapassada". É apenas uma hipótese.
Assim repito, ninguém deveria ser preso por afirmar publicamente o que pensa.

4- Porém gostaria de reforçar que a nós nos encanta defender a "nossa" liberdade de expressão, ou quando muito, a liberdade de expressão dos que pensam igual a nós. Quando trata-se de um pensamento dissonante do nosso, ainda que o afirmemos por escrito que respeitamos a "liberdade do próximo", duvido muito que na prática honremos o que escrevemos. Isso é humano.

Eu pessoalmente acho que em algumas igrejas protestantes há uma fixação sobre o homessexualismo que beira um outro pecado, o "não julgarás". Adoramos apontar para os pecados do próximo, mas acho que nos falta que nos santifiquemos mais. Com disse o nosso Jesus, "aquele que não tenha pecado, que atire a primeira pedra".

Ao contrário da maioria, a bíblia deixou muito espaço para o contraditório, mas nós nos fixamos apenas quando nos convém.

hereticus disse...

A guerra cultural,na qual as minorias gays sao importante massa de manobra, e' uma guerra assimetrica. Os ativistas gays podem dar porrada nos cristaos, e desrespeitar os direitos de expressao destes, mas a reciproca e' falsa, e a policia britanica esta' ahi para impor essa lei da assimetria. Lula no seu segundo mandato vai logo providenciar o mesmo aqui: Policia Federal em cima de quem disser qualquer coisa que o lobby gay nao gostar. O mesmo vai ocorrer com o holocausto do aborto. Os cristaos que defendem a vida deverao calar a boca, e fazer tudo o que a Planned Parenthood e outras ONGs que tais decidirem, ou irem para a cadeia.
Estamos a poucos dias de uma eleicao memoravel, para a gloria ou para a infamia da maioria dos nossos eleitores.Se o eleitorado brasileiro persistir no erro de entregar ao PT os destinos da Patria, sera' muito pouco o que os homens de bem poderao realizar dali em diante. Excepto,e' claro, morrer com Honra, como disse Nelson Rodrigues a respeito daquele sobrevivente do desastre aereo nos Andes, que morreu de fome por se recusar a sucumbir ao Canibalismo de alguns de seus colegas de infortunio:"Petrificado nas neves. Mas um Homem."

Anônimo disse...

É incrível como alguns que se dizem cristãos ainda tentam apoiar um grupo de pessoas que querem e vão conseguir um dia com o Anti cristo impor este sistema pecaminoso. Não pensem que ficando apáticos e deixar as coisas acontecerem fará com que eles parem ...eles querem poder e conseguirão por que nós nada fazemos...Que Deus tenha misericórdia!!

Cursos de Psicanálise disse...

Deus abençoe!

Maiakovisky disse...

Mateus 24:9-10
"Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as gentes por causa do meu nome.
Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se aborrecerão."