03 fevereiro 2010

Coisinhas sobre mim

- Sou tão lenta para aprender as coisas que Deus resolveu compensar amorosamente essa característica, fazendo-me parecer dez anos mais nova. Assim, a passagem do tempo se torna um pouco menos evidente enquanto levo anos amargando as mesmas lições.

- Acho muito feio o uso do verbo “colocar” no sentido de “afirmar”.

- O reconhecimento público é algo que me emociona mais do que eu gostaria (por minha causa: medo do orgulho). Mas não me envergonho nem um pouco de me emocionar com aqueles programas de tv em que famílias unidas ganham casas, gente desconhecida canta bem e casais se reencontram (por causa deles mesmos: não preciso me preocupar com meu próprio orgulho).

- Se eu não me dedicasse às letras, seria musicista, talvez cantora lírica ou vocalista de banda folk-rock-celta-progressivo. (Cantando para louvar a Deus, claro! Se não, tudo seria muito sem graça para mim.) A única arte que eu amo mais que a música é a literatura.

- Odeio o vitimismo moderno. O aplicado vitimista (geralmente, de esquerda) é sempre sem noção. Por exemplo: um editor organiza e publica a única enciclopédia existente na atualidade sobre determinado assunto, convidando a si mesmo para escrever os verbetes mais importantes. No entanto, em cada um dos textos dele (e só nos dele), continua a se queixar de uma “univocidade” no meio, como se fosse o último dos excluídos da roda de experts.

35 comentários:

Edson Camargo disse...

Cantora você poderia ser tranquilamente.

Já falei que você é uma das vozes mais afinadas que eu conheço. Tanto que você já foi solista de coral. Com a bagagem literária, poderiam rolar belas letras para a banda "folk-rock-celta-progressista".

"Progressista" não! "Progressivo", você quis dizer, néam, Normitcha? Chega de artista revolucionariozinho nesse pobre mundo. HAHAHA!

Bjo!
Ed

Norma disse...

Rock progressista? Que horror, hahahaha! Já consertei!

Ano passado tive uma laringite e fiquei bem cabreira, mas mesmo assim fiz um solo no coral com o André. Ficou bonitinho. Fomos Maria e José, hehehe!

Este ano vou pegar firme na aula de canto!

Beijos, Dim!

Carla disse...

Adorei!
Estou esperando o "Coisinhas sobre mim - Parte II"

Beijos

Gustavo Nagel disse...

Freud explica o "progressista", hehe.

Norma disse...

Caro Nagel, há momentos na vida de uma mulher em que um erro de digitação é apenas um erro de digitação.

Hehehehehehehehe!

Norma disse...

Obrigada, Carla! Vamos ver qual será meu próximo momento confessional, hehehe!

sarah disse...

Norma,

Chamou-me a atenção esse trecho final:

"No entanto, em cada um dos textos dele (e só nos dele), continua a se queixar de uma “univocidade” no meio, como se fosse o último dos excluídos da roda de experts. "

Quase deu pra ver o sujeito... até parece que "ele" existe. Sabe aquela coisa de a gente escrever se lembrando de alguém muitíssimo real...?

Até,

Ricardo

Norma disse...

Sarah-Ricardo,

Quando eu estudava na graduação (Letras), frequentava tudo quanto era congresso e colóquio. Depois que me converti, passei a perceber que em todos esses encontros todo mundo falava de pluralidade. Sabe como fica um discurso que ecoa sempre o mesmo, em todas as mesas-redondas, palestras e conferências? Embora a ênfase fosse na "pluralidade", havia muito pouca pluralidade ali. O discurso comum: a verdade não existe. O inimigo comum: todos os que insistiam na verdade, especialmente a religião cristã. Isso, evidentemente, nas salas de aula também. E na pós-graduação. E na grande maioria dos autores que tive de ler...

Diante de um quadro desses, é mais que legítima uma queixa de univocidade.

Mas quando você mesmo tem o poder de publicar uma obra dessa monta e escolher não só os autores dos verbetes, mas os artigos que irá encabeçar, parece estranha a obsessão com a univocidade.

A modernidade inventa suas inimizades para atacar os inimigos livremente. Estamos na época da pseudovitimização agressiva. Girard explica.

Foi "só" isso o que quis dizer. :-)

Abraços.

Ricardo Mamedes disse...

Norma,

Desculpe aí, pois saiu com o registro da minha filha Sarah.

Quanto ao texto, eu havia entendido a questão da vitimização/obsessão com a univocidade. Foi apenas uma brincadeira, pois às vezes o que dizemos é tão "vívido" que parece até dirigido a alguém real. O seu texto de agora teve essa virtude, dentre outras.

Abraço,

Ricardo

Norma disse...

Oi, Ricardo! É você!

Achei que fosse alguém dizendo sutilmente que eu é que me encaixo na descrição, hahahaha!

Abração!

Fernando Pasquini disse...

Olá Norma!

Eu também queria investir mais em música, e se você fosse pra essa área, você já teria um membro pra sua banda de folk-rock-celta-progressivo! hehe

Mas é uma pena porque hoje é muito difícil "colocar comida na mesa" só com música, né... e no fim das contas só dá pra tocar na igreja aos domingos, o que também já é muito bom e eu acho essencial pra qualquer músico cristão.

Ah, e gostei da sua "colocação"... hauhaha =P

Abraço!
Fernando

Norma disse...

Oi, Fernando!

Se você quiser montar uma banda dessas e me pôr como vocalista, eu topo! Hehehehe!

Abração!

Renato disse...

sábado, 6 de fevereiro de 2010
A infiltração comunista da Igreja

“Como viemos a saber de numerosas testemunhas independentes, a infiltração comunista da Igreja começou cedo, na década de 1930. O próprio Lênin (fundador do Comunismo russo) declarou nos anos 20 que infiltraria a Igreja Católica, particularmente o Vaticano. A evidência histórica quanto a isso foi recentemente sumarizada no venerável periódico Christian Order:
“Douglas Hyde, ex-comunista e célebre convertido, revelou há muito tempo que nos anos 30 as chefias comunistas enviaram uma diretiva à escala mundial sobre a infiltração da Igreja Católica. E no início da década de 50, a Sra. Bella Dodd também deu informações pormenorizadas sobre a subversão comunista da Igreja. Falando como antiga funcionária de destaque do Partido Comunista Americano, a Sra. Dodd disse: “Nos anos 30 pusemos entre mil e cem homens no sacerdócio para destruir a Igreja a partir do seu interior.” A idéia era que estes homens se ordenassem e subissem até ocupar posições de influência e autoridade como Monsenhores e Bispos. Uma dúzia de anos antes do Vaticano II, ela declarou o seguinte: “Neste momento estão nos cargos mais altos da Igreja” – onde estavam a trabalhar para conseguir mudanças que enfraquecessem a eficácia da Igreja na sua luta contra o Comunismo. Acrescentou que estas mudanças seriam tão drásticas que “não reconhecerão a Igreja Católica.””

Renato disse...

Como sublinhou a Christian Order, a existência de uma conspiração comunista para infiltrar a Igreja foi abundantemente confirmada, não só pelos antigos comunistas Bella Dodd e Douglas Hyde, mas também por desertores soviéticos:
“O antigo oficial da KGB Anatoliy Golitsyn, que desertou em 1961 e em 1984 previu com 94% de precisão todos os espantosos acontecimentos ocorridos no Bloco Comunista desde aquela altura, confirmou há vários anos que esta “penetração da Igreja Católica, assim como de outras igrejas, faz parte da “linha geral” [isto é, da política imutável] do Partido na luta anti-religiosa.” De fato, centenas de documentos passados para o Ocidente pelo antigo arquivista da KGB Vassili Mitrokhin, e publicados em 1999, dizem o mesmo sobre o fato de a KGB cultivar as relações mais cordiais com os Católicos ‘progressistas’ e financiar as suas atividades. Um dos órgãos esquerdistas identificados foi a pequena agência de imprensa católica italiana Adista que, ao longo das décadas, promoveu todas as causas ou “reformas” pós-conciliares imagináveis, e cujo Diretor foi nomeado no Arquivo Mitrokhin como um agente assalariado da KGB.”
A Sra. Dodd, que se converteu à Fé pouco antes de morrer, era assessora jurídica do Partido Comunista dos Estados Unidos. Prestou um depoimento volumoso sobre a infiltração comunista na Igreja e no Estado perante a Comissão Parlamentar de Atividades Anti-Americanas nos anos 50. Como se quisesse penitenciar-se pelo seu papel na subversão da Igreja, a Sra. Dodd fez uma série de conferências na Universidade Fordham e noutros locais durante os anos que precederam o Vaticano II. A Christian Order recorda o testemunho de um frade que assistiu a uma dessas conferências no início da década de 50:
“Ouvi aquela mulher durante quatro horas e ela pôs-me os cabelos em pé. Tudo o que ela disse cumpriu-se à letra. Pensar-se-ia que ela era a maior profetisa do mundo, mas ela não era profetisa. Estava apenas a expor, passo a passo, o plano de combate da subversão comunista da Igreja Católica. Ela explicou que, de todas as religiões do mundo, a Igreja Católica era a única temida pelos Comunistas, porque era o seu único adversário eficaz. A idéia geral era destruir, não a Igreja como instituição, mas antes a Fé do povo, e usar mesmo a instituição da Igreja, se possível, para destruir a Fé por meio da promoção de uma pseudo-religião, qualquer coisa parecida com o Catolicismo mas que não era a autêntica doutrina. Logo que a Fé fosse destruída – explicou ela – introduzir-se-ia na Igreja um complexo de culpa (...) para classificar a ‘Igreja do passado’ como opressiva, autoritária, cheia de preconceitos, arrogante ao afirmar-se como única possuidora da verdade, e responsável pelas divisões das comunidades religiosas através dos séculos. Isto seria necessário para que os responsáveis da Igreja, envergonhados, adotassem uma ‘abertura ao mundo’ e uma atitude mais flexível para com todas as religiões e filosofias. Os comunistas explorariam então esta abertura para enfraquecer insidiosamente a Igreja.””
(Pe. Paul Kramer, The Devil’s Final Battle)

http://speminaliumnunquam.blogspot.com/2010/02/infiltracao-comunista-da-igreja.html

Moreira

Norma disse...

"Ela explicou que, de todas as ãreligiões do mundo, a Igreja Católica era a única temida pelos Comunistas, porque era o seu único adversário eficaz."

Mas o comunismo tentou igualmente destruir os três cristianismos: católico, protestante e ortodoxo.

Além disso, não é a instituição que é o adversário, mas sim Cristo, que vive em seus fiéis por meio da fé.

Renato disse...

Mas vamos ser sinceros Norma!

Qual é a Igreja que maisos comunistas perseguiram?

De quebra vou colocar um site muito bom que mostra alguns segredos do liberalismo:

http://advhaereses.blogspot.com/

Leia só que artigo interesante sobre o liberalismo!

http://advhaereses.blogspot.com/2010/02/as-origens-ocultistas-e-liberais-do.html

http://4.bp.blogspot.com/_rLBXcgLJLIU/S3FxHaTf3HI/AAAAAAAAC4Q/GFqgtyZFskg/s1600-h/Darwin.jpg

Renato disse...

Essa parte me chamou bastante atenção!

'' 'Acrescentou que estas mudanças seriam tão drásticas que “não reconhecerão a Igreja Católica.''''

Quando vemos hoje muitos que se diziam católicos, e se encontram hoje em uma denominação onde dizem ''ter encontrado Jesus''.

Mostram a si mesmo a sua falsidade e incompetencia por não ter procurado conhecer a Doutrina Católica!

Essas pessoas que se definiam de católicos não praticantes, mostram claramente que eles são filhos dessa infiltração, e também (por pura incompetência) que são crias desses movimentos anti-católicos!

Renato disse...

Dicas de leitura (eu sei que você não é luterana):

http://www.montfort.org.br/index.php?secao=cartas&subsecao=doutrina&artigo=20081117211033&lang=bra

Serve como alerta!

Esse artigo aqui também é muito bom!

http://advhaereses.blogspot.com/2010/01/luteranos-pais-do-ocultismo-rosacruz.html

Marcelo Hagah disse...

Música celta? Parece bom. Madredeus é música celta? Quanto a famílias unidas ganharem casas também fico feliz. Só não chorei de alegria, quase de tristeza, quando o pessoal do Pânico na TV deu uma casa a Zina, um sujeito drogado, mal educado, falador de palavrões, que dá um baita mau exemplo aos jovens... Não merecia, não. Tem cidadão de bem que merece.


Quero saber mais coisinhas de você, querida Norma. Como eu lhe disse na primeira vez em que me comuniquei com você, por e-mail, não no blog, você é uma mulher APAIXONANTE.

Graça e Paz.

Marcelo Hagah
João Pessoa-PB

André disse...

Caro Renato, você dispõe de dados quantitativos sobre o tamanho da perseguição comunista quanto à Igreja Ortodoxa e às denominações protestantes? Esses dados seriam relevantes para apoiar sua sugestão de que a Igreja Católica foi mais perseguida. De minha parte, não duvido que tenha sido, mas desconheço dados que o comprovem. Se puder apresentá-los, fico agradecido.

Além disso, parece-me que você não entendeu o espírito da declaração da sra. Dodd sobre o não-reconhecimento da Igreja Católica, e fez dessas palavras isoladas uma aplicação inteiramente deslocada de seu contexto.

Abraços!

*******

Querida Norma, concordo inteiramente com o Marcelo: você é uma mulher apaixonante. :D

Beijos!

Renato disse...

André, o famoso "pacto de Metz", onde o patriarca da igreja ortodoxa russa foi um dos agentes infiltrados dentro da Igreja Católica pela KGB, é uma das provas que comunismo tinha clarissimamente a intenção de adentrar dentro da Igreja Católica!

A infiltração comunista se deu, é claro, dentro da Igreja Católica, no meio protestante, ortodoxo,... mas sejamos sinceros: Qual é a Igreja de maior visibilidade mundial?

Desde a fundação da Igreja Católica por Cristo Jesus (sei que você não aceitará essas palavras), os servos do diabo sempre tentaram de todas as formas entrarem dentro dela. É também aquela velha história: o diabo e os seus seguidores irão copiar tudo o que sai da Casa de Deus, irão copiar muito mal, mas irão copiar.

Não é segredo que os comunistas perseguiram a igreja ortodoxa! mas também sabem,os que muitos sacerdotos ortodoxos foram agentes da KGB... incluindo-se ai patriarcas ortodoxos!

Para você ter uma ideia, veja nesse sítio do pravda, na parte dos parceiros de informação, qual é a igreja que os comunistas ainda mantem contatos http://port.pravda.ru/

Renato disse...

André, além do mais a sra. Dodd não foi a única a falar isso!

Lembremos que Antonio Grasmci já há muitas décadas vem tramanto a serviço de Moscou, a infiltração da Igreja Católica por comunistas!

Você já reparou que a mídia MUNDIAL gosta de dar espaço para os ''sacerdotes moderninhos'' (todos frutos do Concílio Vaticano II, concílio que foi convocado às pressas pelo clero modernista) como Fábio de Melo, ''frei'' Betto, Leonardo Boff, Marcelinho Rossi,...?

Isso, pode apostar André, não é por acaso!

Osmar Neves disse...

Prezada Norma e amigos, por favor permitam-me compartilhar com vocês uma grande alegria:

Finalmente foi lançado o 1° livro em português do filósofo calvinista Gordon Clark, "Em Defesa da Teologia"
http://www.editoramonergismo.com.br/index.php?page=shop.product_details&category_id=15&flypage=flypage.tpl&product_id=187&option=com_virtuemart&Itemid=71

Um exemplo do fino humor do Clark: "Por fim os leitores serão instados a chegar às próprias conclusões; uma maneira polida de dizer que o autor espera que concordem com ele" (pág. 17 e 18)

Obrigado e espero que leiam essa maravilhosa obra!

Osmar Neves, Padre Bernardo-GO em 13/02/2010

André disse...

Caro Renato, não perguntei sobre "visibilidade mundial", e sim sobre dados numéricos que comprovem sua afirmação de que a Igreja Católica foi mais perseguida que as demais. Mas, a julgar pelas divagações de sua resposta, deu pra ver que você não possui tais dados. Sendo assim, muito obrigado, e deixemos isso pra lá.

Agentes a serviço do comunismo existem em todas as igrejas, inclusive na Igreja Católica, como você mesmo admitiu. Sua tentativa retórica de fazer parecer que a situação católica é diferente das demais não convence ninguém.

Quanto à sra. Dodd, você não só não entendeu o que ela disse, mas também não entendeu o que eu disse a respeito do que você disse que ela disse. Mais uma vez, deixemos isso pra lá.

Abraços!

Renato disse...

André, a comprovação se encontra na queda do número de católicos, principalmente na America Latina!

O clero modernista tenta ao máximo omitir dos católicos tudo isso!

Para os dados esstatiscos, a melhor prova é o número da tragédia dentro da Igreja Católica pós-Vaticano II.

Repare que a Igreja Católica foi a mais afetada, quer melhor dados númericos do que esse!

Eu sempre faço essa pergunta para os protestantes: André você já nasceu em uma família protestante ou entrou para a sua denominação com o tempo?

Norma disse...

Oi, Osmar,

Que maravilha de notícia!

Do Clark estou lendo Thales to Dewey, sobre filosofia. O estilo dele é muito agradável mesmo.

Tem muita coisa boa a ser publicada dessa turma de reformadores!

Abraços!

André disse...

Caro Renato, para mim não é óbvio que a infiltração comunista na Igreja Católica seja a causa única ou principal da diminuição do número de fiéis católicos na América Latina. Não posso, portanto, admitir esse fato como prova de coisa alguma. Inclusive porque não disponho de dados estatísticos sobre as denominações protestantes e a Igreja Ortodoxa, o que torna impossível qualquer comparação.

Satisfarei sua curiosidade: minha família é presbiteriana desde os tempos de meus avós, que vieram do catolicismo (minha avó) e do espiritismo (meu avô). Fui batizado na Igreja Presbiteriana quando era criança, fiz minha profissão de fé aos doze anos, tive minhas simpatias por algumas heresias, mas jamais cheguei a me afastar de fato.

Abraços!

Renato disse...

André, eu fiquei curioso agora!

Seus avós eram da cidade grande ou do interior? Qual era a cidade onde vivviam?

Renato disse...

''...para mim não é óbvio que a infiltração comunista na Igreja Católica seja a causa única ou principal da diminuição do número de fiéis católicos na América Latina.''

Ai você está dando uma opinião pessoal, então eu posso dar a minha: Para mim ela é uma das princiapais causas da queda do núnero de católicos na America Latina!

''Não posso, portanto, admitir esse fato como prova de coisa alguma.''

Eu sim!

''Inclusive porque não disponho de dados estatísticos...''

Dados podem ser manipulados André. Eu prefiro ver o que está visivelmente acontecendo.

Quer uma prova?

Repare que escuto muitas ''pesquisas'' falarem o seguinte:

Onúmeros de católicos é tanto..., mas os católicos praticantes são essess...

Faço a pergunta:

O que essas pessas entendem por católicos praticantes?

André disse...

Caro Renato, você disse:

"Ai você está dando uma opinião pessoal, então eu posso dar a minha: Para mim ela é uma das princiapais causas da queda do núnero de católicos na America Latina!"

Em primeiro lugar, note que você disse "uma das principais causas", de modo que devem existir outras. E, se existem outras, nada prova que a infiltração comunista seja a mais importante de todas. Afinal, nem sabemos quais são as outras.

Em segundo lugar, não é uma questão de minha "opinião pessoal" contra a sua. Eu não afirmei coisa alguma sobre o assunto. Você afirmou um bocado de coisas. Pedi provas, dados, e você não os deu. Continuou lançando novas afirmações que também deveriam ter sido justificadas. Como não foram, fico com a impressão de que você esteve o tempo todo emitindo opiniões com base insuficiente. Mas você fez isso como se estivesse falando de fatos incontestáveis. E essa é uma diferença muito importante entre as suas opiniões e as minhas.

Se você quer saber um pouco da história da minha família, vamos lá. Meus avós cresceram e se casaram numa cidadezinha minúscula cujo nome já esqueci, mas que fica na região de São José do Rio Preto, no interior de SP. Mas se mudaram para a capital paulista pouco tempo depois, e viveram lá uns 40 anos, até o casamento de seu último filho. Meu avô se converteu pouco tempo antes dessa mudança. Quanto à minha vó, não sei lhe dizer.

Abraços!

Osmar Neves disse...

Prezada Norma, é uma pena que a Cultura Cristã esteja demorando para publicar esse livro do Clark (o pessoal do Monergismo só conseguiu os direitos autorais de outras 3 obras, "Em defesa da Teologia" incluída). Eu estou ansioso para ler a análise do Clark sobre as filosofias do Malebranche e do Kant (se é que ele faz isso, estou presumindo).
Agora, obrigado por se expor aqui ao escrutínio dos seus leitores, você foi corajosa e nós tomamos conhecimento (um pouco mais) da sua sensibilidade (percebe-se ao ler os seus textos que você tem vocação artística, eles são belos e gostosos de se ler - O André tem bom gosto e é um cara de sorte, hehe).

PS: Uma sugestão: associe-se a alguma empresa de cosméticos, quem sabe eles não descubram um creme rejuvenescedor e você fature uma nota (para deixar o André ainda mais feliz, hehehe).

Norma disse...

Oi, Osmar!

Estou lutando aqui contra umas bolinhas que apareceram no meu rosto - acne hormonal, nada sério (a dermato diz que sai em um mês), mas bem chatinho - , então, o negócio dos cosméticos ainda vai demorar. :-P

Na leitura do Clark, quando eu chegar ao Kant (vai demorar também, haha) eu conto!

Abração!

Osmar Neves disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Também tenho problemas com acne mas diferentemente de você eu aparento ser mais velho do que sou, sniff! E não fui compensado com rapidez ou facilidade de entendimento! Tenho que quebrar bastante a cuca para entender as coisas, hehehe.

Sobre o Clark, taí algo que poderia render um post seu futuramente. Alguns religiosos cristãos (católicos e protestantes) colocam Kant como gênese do movimento de se excluir a fé religiosa da apreciação racional, o iniciador da dicotomia Fé & Razão. E seria interessante ter um post sobre a avaliação que um dos maiores filósofos calvinistas do século passado, Gordon Clark, faz a respeito da epistemologia do Kant. Obrigado e um abraço!

Norma disse...

Oi, Osmar!

Quando li A condição humana, de Hannah Arendt, compreendi que o grande iniciador dos dualismos modernos havia sido Descartes. Acho que você iria adorar esse livro!

Estou lendo agora Verdade absoluta, de Nancy Pearcey. Ela dedica um capítulo inteiro à gênese desse dualismo e suas relações com a fé. E também identifica Descartes como o iniciador disso (que separou mente e matéria), mas em seguida aponta para Kant como o responsável pelo aprofundamento dessa cisão. Claro, é uma descrição mais superficial (por ser rápida), mas contundente, a meu ver, sem esquecer o fundamental de cada questão.

Assim que eu ler Clark sobre isso, prometo um post! O André leu Kant, eu não. Vamos ver o que vai sair, hehehe!

Por fim, não poderia deixar de dizer: você fala que tem de "quebrar bastante a cuca para entender as coisas", mas, falando bem francamente, compreender os dualismos em que a modernidade está mergulhada é algo GRANDE. Se você entende isso, entende muito mais coisas do que imagina, só por inferências!

Abração!

Osmar Neves disse...

Obrigado pelas sugestões.