19 dezembro 2013

"Cristo como chave hermenêutica"

Gostei desse texto de Felipe Cruz e Yago Martins contra a velha ilusão liberal de "Cristo como a chave hermenêutica", que no final funciona apenas como desculpa para que o cidadão use e abuse da Escritura a seu bel-prazer, retirando dela o que não lhe convém.

Eu apenas acrescentaria ao artigo o seguinte argumento, exposto nesse diálogo imaginário:

- Cristo é a chave hermenêutica da Bíblia.

- Certo. Mas tudo o que você sabe sobre Cristo vem de onde?

- Er...

- Da Bíblia, não é?

- ...

- Além disso, o próprio Cristo usava as Escrituras da época dele (Velho Testamento) do jeitinho que nós usamos. Ele reconheceu as profecias antigas como corretas, versando sobre Ele mesmo (Lc 4.21); repetiu palavras de Deuteronômio 8.3 (Mt 4.4); reforçou a eternidade da Lei (Mt 5.18, Lc 16.17); resistiu à tentação do diabo (Lc 4.1-13). Só para citar alguns exemplos! Nisso tudo, usou a palavra autoritarivamente.

- Mas Cristo disse que é a Palavra.

- Sim, Ele disse isso, mas também disse que não vinha anular a Lei, mas cumpri-La (Mt 5.17). Ele é a Palavra VIVA. Nossa Bíblia é a Palavra escrita de Deus. Se você não ler a Bíblia com ideias preconcebidas e não prescindir da orientação do Espírito Santo, vai ver que Jesus não contraria a Palavra escrita em nenhum momento. Ele cumpre em Seu corpo, com a morte e a ressurreição, tudo o que estava registrado na Lei e nos Profetas. E se tornou nosso maior modelo no uso humilde da Palavra. Pois o próprio Deus não se contradiz, nem é homem, para mentir: "Seja Deus verdadeiro, e todo homem mentiroso" (Rm 3.4).

 

5 comentários:

Luiz Henrique disse...

Olá Norma, boa tarde, apenas duas 'coisitas':
1º) No último § (Nossa Bíblia é a Palavra escrita de Deus.), eu colocaria escrita em caixa alta, para dar a ênfase necessária À "VIVA" usada anteriormente e ...

2º) Rm 3.4 é inspirado ?!? rsss

Que nosso Senhor Jesus continue a nos abençoar, usando a Sua Palavra para livrar-nos das armadilhas hermenêuticas.

Yan Pedro disse...

"Rm 3.4 é inspirado ?!? rsss"

As Escrituras não são homens falando, mas Deus falando.

Os profetas se levantavam como mera boca de Deus, e diziam isso nos seus textos, além do relato de Hb:


"Havendo Deus antigamente falado muitas vezes, e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho,"
Hebreus 1:1

Não é Moisés, ou Qualquer profeta que fala, é Deus quem fala.

Portanto, não é a verdade do homem que garante a bíblia, mas a verdade da bíblia, do próprio Deus.

Yago Martins disse...

Ótima contribuição, Norminha.

Mas, se isso serve como defesa, hehe, não usarmos este argumento porque ele foi usado nos dois textos anteriores que postei no meu blog a respeito da teologia do Caio, um sobre o Novo Testamento, outro sobre o Antigo. Sua contribuição não deixa de ser um ótimo resumo, e já estou compartilhando :)

Beijos no coração.

Jones F. Mendonça disse...

Cristo com "chave hermenêutica" é um argumento de Lutero, também chamado de "cânon dentro do cânon".

Alexandre Gonçalves disse...

Depois de nós calvinistas termos recebido inúmeros ataques por parte de Julio Severo nos acusando de "esquerdistas adeptos da teologia da missão integral" fico feliz em ver um texto baseado em argumentadores calvinistas que em sua essência são os verdadeiros conservadores, visto procurarmos o sentido fundamental e ortodoxo da Palavra de Deus. Estou farto dos "olavetes" e "severetes" que teimam em nos taxar de liberais. Quer coisa mais conservadora crer na absoluta miséria e inaptidão humana e na soberania absoluta de Deus?