18 outubro 2009

O que é bom para Fidel...

Apesar de carioca — ou justamente por isso, hehe — , não fiquei muito comovida com a escolha do Rio de Janeiro para as Olimpíadas de 2016. Li pela web as opiniões de alguns eternos esperançosos, que vislumbram na decisão uma oportunidade incrível de progressos para a cidade, mas eu vejo o que sempre vi nos meus trinta anos de moradora do Rio: maquiagens sem fim no panorama das favelas maiores, ocupação militar nas ruas para coibir os marginais e quase que só isso. Depois, volta tudo ao “normal”. Claro, uma parcela da população vai investir ou trabalhar no evento, e com isso um certo up no seu rico dinheirinho será inevitável. Mas isso se verificará significativamente bom para a cidade como um todo e por um tempo razoável? Sem que se mexa no principal, a criminalidade envolvida no tráfico de drogas? No creo, no creo... Comemorar o fato me soa, mais ou menos, como alegrar-se pelo novo show de fogos de artifício em um navio que já começou a afundar (do qual me evadi antes que fosse tarde demais).

A notícia de ontem — bandidos derrubam helicóptero da polícia militar, caramba! — parece apenas reforçar que é preciso passar da miopia otimista para um plano de ação efetivo e duradouro.

E, como se não bastasse, li no ótimo blog Traduzindo para o juridiquês mais uma razão para torcer o nariz para o otimismo olímpico (nos dois sentidos) dos cariocas:

Fidel Castro escreveu no Granma - aquele jornal oficial apropriadamente utilizado pelos cubanos como substituto do papel higiênico - que a escolha do Rio para os jogos olímpicos de 2016 significou o "triunfo do Terceiro Mundo".

Definitivamente, o que é bom para Fidel é ruim para o Brasil, não é? Só isso já me tira a vontade de participar da euforia geral por esse duvidoso triunfo do Terceiro Mundo! Porém, não custa sonhar um pouquinho. Quem sabe os frutos dessas Olimpíadas não se limitarão às conhecidas macaquices plásticas em alguns cartões postais do Rio. Se o dinheiro aplicado na cidade puder ajudar para reabilitá-la do crime, maravilha! Mas eu penso mesmo é em outra coisa: apesar do que aconteceu àqueles pobres pugilistas deportados em 2007, desejo do fundo da alma que alguns atletas cubanos consigam escapar para sempre da ilha-cárcere durante os jogos — sem deportação!

4 comentários:

Diggory Kirke disse...

Very well said!!!
Abraco,
Paulo F Ribeiro

jonh disse...

Oi Norma..tudo bem..

Sou de SP e agora estou morando no Rio..de fato....não fiquei contente com a escolha do Rio para sede das Olimpiadas 2016. Não pelo bairrismo, mas pelo pouco tempo que estou aqui percebo que as coisas não mudam....não há progresso, não há respeito e tudo fica como sempre esta...
Me desanimo...
Falam de investimento e mais investimentos...mas o Estado do Rio é falido e corrupto...não há noção de Estado aqui, as pessoas pouco se preocupam com o que é publico.
Imagino nas Olimpiadas...quando foi anunciado todos gritaram e comemoraram como se fosse Copa do Mundo...mas não sabem o quanto isso é uma ilusão pro Rio..sei lá...
Os fatos ocorridos no sabado me abalaram muito....aqui não há sensação de segurança e todos estão jogados a sua sorte...

Abs
JP

Jorge Fernandes Isah disse...

Norma,
vejo esse desleixo, descaso, desinteresse e má-vontade para com a segurança, em especial a contemporização do crime e a glamourização da bandidagem, como o prenúncio de uma futura ditadura marxista no país, tão acalentada pela intelectualidade tola e vaidosa, que em sua soberba não reconhece a própria estupidez. Estabelece-se o caos social e político para se implantar a tirania de esquerda. E isso não é de agora, são anos e anos a fio, gerações e gerações de socialistas a serviço do diabo, difundindo sua maligna ideologia (juntamente com o teísmo-aberto, a teologia da prosperidade, da libertação, da missão integral, o liberalismo teológico, etc).

É por isso que a igreja deveria ser sal e luz; por isso, Cristo a resgatou com o Seu sangue; mas, infelizmente, no país onde o cristianismo bíblico foi praticamente jogado no ralo, e grande parte da igreja se entregou à moral relativa (sic), sinônimo de imoralidade e perversão dos valores cristãos, o que esperar do Brasil? Apenas a misericórdia de Deus para abrir os olhos de tantos cegos guiando cegos.

O que Lula faz muito bem é arregimentar com o seu jeito intempestivo e galhofeiro cabos eleitorais de toda espécie. Desde o assistencialismo estatal (seria uma nova maquiagem no antigo voto de cabrestro o bolsa-escola, família, vale-gás, etc?), a Copa do Mundo, as Olímpiadas, os gracejos de Obama, e a bajulação dos líderes mundiais por ele ser, digamos, um presidente bem exótico.

Ainda não entendi porque o Lula não foi também agraciado com o Nobel juntamente com o Obama. Afinal, com a política contra a vida perpetrada por seus governos, nada mais irônico e descabido que o Nobel da Paz.
O que me faz lembrar as palavras do profeta: "Não conhecem o caminho da paz, nem há justiça nos seus passos; fizeram para si veredas tortuosas; todo aquele que anda por elas não tem conhecimento da paz" (Is 59.8).

Tais como os falsos profetas, "fazem errar o meu povo, que mordem com os seus dentes, e clamam paz; mas contra aquele que nada lhes dá na boca preparam guerra" (Mq 3.5).

É por essas e outras que usarei o direito (e não a esquerda) para votar: nulo.

Abraços.

Jorge disse...

Isso é só uma, dentre muitas outras demonstrações, do grande lago de lodo socialista que a América Latina esta mergulhada e com poucas esperanças para um resgate.
Infelizmente tivemos a sorte oposta, da qual teve a América do Norte na sua formação e estamos presenciando a realidade cruel, tanto religiosa como política desta catástrofe. E para tristeza nossa, caros amigos, o nosso Brasil está sendo o grande trunfo de articulação e progresso dessa política; E para tal, está usando tudo o que pode e de forma vasta para uma reeducação uniforme da sociedade, que culmine no comunismo socialista. Estamos constatando que o principal meio usado para essa tarefa, esta sendo o meio acadêmico e de forma avassaladora. Pois nossas universidades – e por conseqüência –, seus alunos e estes na sua maior parte, jovens que só demonstram ter vento dentro de suas cabeças, porque não possuem nenhuma atitude – por força passiva, voluntária ou até coerciva ‒, de investigação e esclarecimento de todo o contexto dos fatos; São formados, por exemplo, para que tenham como ponto de referência de ética e moral, o existencialismo de Sartre e assim possam desempenhar toda a anarquia que sua filosofia provê. Todos são ensinados a repudiarem a propriedade privada e o que alguns apologistas marxistas chamam de cidadania privada, na qual depreciam qualquer atitude de esforço ou trabalho para o sucesso do individuo, pois ensinam eles que o bem só pode ser coletivo e nunca individual e com isso contribuem com a doutrina de “sociedade igualitária”; E por fim hipnotizam a todos quantos puderem, a crer que a solução é o “Estado”, o Estado deve estar – segundo essa doutrinação – no controle de tudo! E é espantoso ver tal currículo acadêmico estar sendo desenvolvido em nossas Universidades e Faculdades Teológicas, imagine o que está sendo feito então dentro das ciências humanas em geral?
Portanto, é de se esperar ações de tal natureza em nosso território latino americano.
Mas não percamos a esperança, pois “... a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”.(Fp.3:20).O qual “...foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído”.(Dn7:14)
Sendo assim, vivamos no gozo e testemunho dos frutos inefáveis da Justificação e Eleição em Cristo Jesus, e tendo entrada à “... todos os seus tesouros da sabedoria e da ciência”.(Col.2:3), combatamos o bom combate da Fé.