17 agosto 2008

Travada

Estou travada. As idéias continuam pululando mas, se não aparecem aqui, a culpa é toda sua, leitor. Ah, sim. Porque, se vou desenvolver um texto sério, careço de tempo para árduas pesquisas bibliográficas e extensas notas de pé de post (você sabe, leitor, que trabalho demais - sou profissional de Letras), e não quero ser acusada de leviandade; se vou escrever uma bobagem divertida, bate o receio de ler reclamações mais compenetradas ("seu blog já foi melhor", "seu blog não abençoa como antes" etc.); se vou simplesmente postar uma música, lá vem um comentário para me convencer a largar o vício da pirataria.

Enfim, idéias há, mas me sinto como cachorro novo nas mãos de donos ignorantes: os comentários negativos têm me treinado negativamente. O resultado é que guardo tudo para mim. E minhas leituras correntes - Notes towards a definition of culture, T.S. Eliot; The Good of Afluence, John R. Schneider; Os irmãos Karamazov, Dostoiévski; As origens do totalitarismo, Hannah Arendt - só abençoam a mim mesma, porque não mais ouso falar despreocupadamente, na amizade, sobre as coisas que ocupam minha cabeça.

Ok, ok, eu sei, a culpa é minha. Mas Deus ainda há de me ensinar a confrontar, a ser contracultura direito, a não receber um comentário pesado como um tapa na cara ou um pisão no pé.

20 comentários:

Cristiano Silva disse...

Ei Norma, take your time, e procure não ficar chateada com estas coisas. Faz parte de um espaço como o Blog, comunicação de mão dupla, você expõe a opinião e outros a comentam.

O problema que eu vejo, no meu caso particularmente, não é a discordância em si, mas sim em como ela é feita: estupidamente, grosseiramente.

Mas o comentário mais pesado que vi aqui foi realmente o do vídeo. Eu também sou contra a pirataria, mas não achei que você estava a financiando só porque postou um vídeo do YouTube. Talvez até o artista gosta deste tipo de promoção... Já ouviu o comentário que diz de que toda a pirataria em torno de programas como Windows e Office, no final das contas, só é bom para a Microsoft? hehehehehe

(também sou contra a pirataria de programas - quero deixar isto claro)

Abraços, Deus a abençoe.

Lelê Carabina disse...

Olá Norma! Escrever despreocupadamente não quer dizer que tu não escrevas com conteúdo (mas entendo a seriedade do teu blog.)
Eu gostava de te ler despreocupada na lista. Abração! ;-)

Edson Junior disse...

incrível como o politicamente correcto tem causado reações como essa. uma pena, na verdade.

entendo seus princípios; compartilho-os, até. mas não vamos confundir as coisas.

Edson Junior disse...

btw: em tempos como o nosso, uma definição adequada de "pirataria" cairia bem no post, mas divago.

Cristiano Silva disse...

E minhas leituras correntes ... só abençoam a mim mesma, porque não mais ouso falar despreocupadamente, na amizade, sobre as coisas que ocupam minha cabeça.

Norma, faça um favor para nós: continue ousando. As suas análises, opiniões e visão abençoam a muita gente, incluindo a mim; aprendo muito com elas.

Não preciso dizer, e você bem sabe, que nem Jesus Cristo foi uma unanimidade. Ele falava, e muita gente discordava dele; discordavam tanto que planejaram a sua morte. Com certeza você vai dar a sua opinião e muitos vão discordar, alguns de maneira até grosseira, mas não deixe isso te abater.

Só existe uma pessoa para quem o seu silêncio e desânimo interessam bastante: o Diabo.

Abraços.

carloshenrique disse...

Bom, Norma, há duas formas da gente escrever:
A primeira é escrever tentando agradar tanto a gregos como a troianos, que eu considero a forma errada de escrever.
A segunda forma é escrever um texto, não se preocupando se vai ou não agradar a quem estiver lendo, mas expressando justamente o que pensa acerca de um determinado assunto. Esta eu considero a forma correta de escrever.
Não se preocupe se vai ter aqueles que não gostarão do que te escreveram. E, se tentarem intimidá-la só porque o que você escreveu elas não gostaram. escreva ainda mais com ousadia. Não se curve perante intimidações. Não tenhas medo de expressar suas opiniões mesmo que o mundo inteiro se levante contra ti.
Quem faz a diferença não é aquele com o qual todos concordam e o qual não têm nenhuma oposição.
Mas, quem faz a diferença, sempre terá aqueles que lhe oporão.
Portanto, não se preocupe com aqueles que vivem a criticarem, mas continue escrevendo mesmo que os tais não concordem contigo ou te critiquem.
E, um conselho Bíblico:
"Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem;
para que vos torneis filhos do vosso Pai que está nos céus; porque ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos.
Pois, se amardes aos que vos amam, que recompensa tereis? não fazem os publicanos também o mesmo?
E, se saudardes somente os vossos irmãos, que fazeis demais? não fazem os gentios também o mesmo?
Sede vós, pois, perfeitos, como é perfeito o vosso Pai Celestial" Mateus 5 versos 44 ao 48;

Clóvis disse...

Norma,

Seja de forma descontraída ou recheada de notas e referências bibliográficas. Apenas escreva, quando quiser, como quiser.

Quando eu conseguir acompanhar seu raciocínio, bem. Quando não conseguir, releio.

Deus te abençoe.

Tiago disse...

Norma,

Entendo o que você passa. Mesmo meu blog, que é infinitamente menos visitado que o seu, já recebeu comentários negativos por conta de uma postagem ou outra. É chato. Às vezes a gente trata os textos como filhos, coloca muita atenção, muito amor, na hora de escrever. Fica difícil lidar com as críticas, principalmente quando são infundadas, ou geradas por aguda incompreensão.

De minha parte, devo dizer que poder encontrar novos posts aqui é sempre um alívio. A aridez intelectual da internet é uma coisa séria, levando em conta o tamanho da rede. Este oásis que você montou aqui à custa de tempo e esforço é muito apreciado, e estou certo de que muita gente detestaria ver você desencorajada de nos brindar com insights tão significativos.

No que for possível, conte com meu apoio. Sou um leitor assíduo e espero que possa continuar desfrutando da sua "companhia" através desse site.

Atenciosamente,

Tiago

Anderson Gonzaga disse...

Não esquenta a cuca, Norma.
Se conselho fosse bom (e é!), te diria para não ficar refém de um comportamento politicamente correto, ser você mesma e ser feliz.
Sinto que sua alma clama por expressar aos outros o que sente, senão porque o Blog?
Continue a fazê-lo, sem cargas, sem pesos, sem compromissos.
Aliás, apenas um compromisso: o de ser sempre autêntica.

Abraço

Norma disse...

Pessoal, agradeço muito mesmo os comentários amáveis e preocupados. De vez em quando tenho ataques de pelanca desses. A verdade é que eu publico muita gente que não merece ser publicada, e depois me arrependo. Por exemplo, comentários de leitores que nunca vi mais gordos, que me cobram leituras e embasamento explícito nos textos como se fossem consumidores indignados com o "produto" e realmente pagassem pelo blog. Falta de senso total.

Sei que poderia fazer muito mais - escrever livros, por exemplo - mas, aqui no blog, por enquanto faço o que posso, com a quantidade gigantesca de trabalho que tenho todo mês. O que não suporto é má-fé: gente que no fundo detesta isso aqui, mas se finge de amiguinha nos comentários só para me "pegar" em alguma coisa lá na frente. Um tipo de comportamento tão reprovável que nem acredito que alguém dizendo-se cristão pode assumir. Aí, a idiota aqui (como sou idiota, meu Deus!) só percebe as más intenções quando já foi feita de boba, muuuitos comentários publicados depois.

Ou seja, é como o Tiago falou - a gente faz algo desinteressado, por amor mesmo, mas sempre tem um desajustado para se ocupar jogando pedras naquilo que não entende.

Enfim, obrigada por ouvir e responder a meus desabafos. A vida e o blog continuam! ;-)

Norma disse...

Ah, outra coisa que também sempre recebo mal, mas que relevo de vez em quando: gente que chega pela primeira ou segunda vez e escreve comentários imensos. Afinal, quando você não conhece bem a pessoa, não é educado chegar e sair falando hooooras na casa dos outros.

Mas os habitués queridos podem falar à vontade. :-) Tipo o Hereticus. Aliás, onde andas, Hereticus? Sinto tua falta.

Abração a todos!

RNB disse...

Norma,

da parte que me cabe na sua chateação, duas palavras sinceras: sinto muito.

Raquel

Norma disse...

Raquel, você é um caso à parte. Se nos conhecêssemos pessoalmente, o diálogo seria outro!

Deus a abençoe!

Guilherme de Carvalho disse...

Bem, Norma,

blogosfera é um negócio complicado, vc sabe. É muito fácil usá-la para descarregar as próprias raivas e frustrações.

Seja em posts, seja em comentários...

Às vezes me pergunto se não deveríamos tratar boa parte do que aparece no mundo virtual como na verdade é - virtual.

abr,

Guilherme

Norma disse...

Oi, Guilherme,

Bom, discordo de você. :-) O meio é virtual, mas o que se troca aqui é real, a não ser por alguns bocós que usam de falsidade. Mas até isso é real: o engano acontece.

Através do blog conheci tanta gente fantástica, aconteceu tanta coisa maravilhosa, que tratar este meio como "oposto ao real" (como você usou o termo "virtual") é um contrasenso gigantesco para mim.

Além disso, o termo "descarregar raivas e frustrações" soa pejorativo, sugere descontrole, não é? Mas não é isso que acontece quando posto algo como um desabafo. Não me descontrolei ao postar esse texto, apenas fui um tantinho mais pessoal. Há quem seja estritamente impessoal em seus blogs, há quem entrelace abstrações e teorias com impressões, sentimentos, fatos da vida. Prefiro o segundo modo, é mais meu.

Abraços!

Norma disse...

Faltou dizer: além disso (again), há um certo tom de ironia, de brincadeira, nesse post, que o torna muito mais que um simples desabafo. Costumo fazer galhofa de mim mesma e transformar frustrações em textos bons de se ler. Então a palavra não é "descarregar", mas "transformar". Isso diz tudo, acho.

Cristiano Silva disse...

"Raquel, você é um caso à parte. Se nos conhecêssemos pessoalmente, o diálogo seria outro!"

Opa! Como aprendi a admirar as duas, seria muito legal para mim vê-las debatendo ao vivo e à cores. :-)

Por favor, não me deixem de convidar hein hehehehehehe

Joel e Lu disse...

Bom dia!!

Apesar de sempre ler seus posts, quase nunca os comento... é que geralmente não resta mais nada a adicionar!!!

Mas de qualquer forma, eu ficaria imensamente preocupada com você caso não houvessem manifestações contrárias, e até mesmo violentas e desrespeitosas. Porque tenho visto você defender a fé pura e simples, o cristianismo puro e simples. Por que? Porque Jesus disse que bem aventurados seríamos quando nos perseguissem, nos injuriassem e até mentissem contra nós por causa Dele.

Lembra-se de quando os discípulos se alegraram por terem sido espancados, por terem se encontrado dignos de padecer por Cristo?

Alegra o teu coração com essas críticas também. Elas são sua prova de que o caminho percorrido é correto. E se elas sumirem, aí sim se preocupe.

Beijos de uma leitora que embora anônima, é assídua.

Luciana.

Norma disse...

Querida Luciana!

Muito obrigada por suas palavras! Deus a abençoe muitíssimo!

Mayalu Felix disse...

Norma, faça o que você achar melhor, e tente não levar o Blog tão a sério, por mais que eu saiba o quanto você o leva a sério.

Cada um pensa de um modo, é impossível agradar a todos. Existe um leitor "ideal" do seu blog, e é nele que você pensa quando escreve e publica. Nem todos serão esse leitor, infelizmente (ou felizmente).

A cada nova postagem e comentários O diálogo se estabelece entre você e seus leitores reais e a própria existência dele depende do contraditório!

: )