25 agosto 2007

Se eu não publicar seu comentário...

Mensagem aos leitores

Se eu não publicar seu comentário, caro leitor, saiba que foi por um dos motivos seguintes:

1 - Grosseria e/ou zombaria: infelizmente, o mais comum. Publico às vezes, quando o texto grosseiro ou escarnecedor pode servir de amostra didática da falta de compostura de algum comentador que, dizendo-se irmão, é "devasso, ou idólatra, ou maldizente" (1Co5:11).
2- Chantagem emocional: infelizmente, o segundo mais comum. Em vez de argumentar contra as idéias que apresento, o comentador tenta me convencer de que estou pecando ao escrever que tal coisa é heresia ou tal líder precisa se arrepender. Meu conselho: leia a Bíblia.
3 - Comentário longo demais e falta de tempo para responder, principalmente quando (a) as idéias do comentador já foram refutadas muitas vezes por mim ao longo deste blog ou (b) o texto é confuso e mal argumentado.
4 - Erro do Blogger. Às vezes perco comentários e não sei onde foram parar.

Conselhos:

A quem cai no caso número 1 - Desista. Se vier, venha em paz e com argumentos.
A quem cai no caso número 2 - Desista. Se vier, venha com maturidade emocional e espiritual.
A quem cai no caso número 3 - Não desista, pesquise o assunto no blog todo e reescreva.
A quem cai no caso número 4 - Poste novamente!

16 comentários:

Anônimo disse...

circobetesda.blogspot.com

Achei hilario!

Norma disse...

Foi também a intenção! :-)

Norma disse...

Ah, você fala: hilário o "circo"? Hummm, não sei se é uma boa idéia, Anônimo... O que adianta mesmo é desancar as idéias em vez de se concentrar nas pessoas e suas bizarrices.

Anônimo disse...

Eh Norma eu concordo, acho que a intenção deve ser rir das idéias já que ninguem as discute ou sabe discutir seriamente (sem levar para o lado pessoal) então acho que estão querendo levar as idéias para o lado satírico ou humorístico. Acho que estao explorando aquela coisa do "rir pra nao chorar".
Saudações,
RC - Fortaleza

Norma disse...

Bom, não é a minha praia, mas de vez quando vou dar umas passadinhas no circo, só para conferir os palhaços e os animais. :-P

Anônimo disse...

é norma é tipico de você participar destes circos. As vezes você também escreve suas coisas hilárias como "as idéias do comentador já foram refutadas muitas vezes por mim ao longo deste blog"
só porque voce fala diferente de alguém voce considera que está refutado a idéia do outro?

dá um tempo...

Norma disse...

Sai fora, Anônimo.

Se no seu mundo só existem "falas diferentes" e não certo e errado, para quê você vem aqui, pra começar? Eu não fico enchendo o saco de ninguém em blog esquerdista, relativista, politicamente correto e outros bichos semelhantes.

Se vem, é porque quer conversar ou encher o saco. Infelizmente, a maioria que discorda só vem para encher o saco... É isso que eu não entendo. Ê povo chato.

Norma disse...

NÃO PUBLICO mais quem vier só pra encher o saco, principamente se postar a mesma coisa várias vezes.

A quem vem só pra encher o saco - ou seja, com bobagens pouco gentis e tão absurdas que precisariam de muita paciência para serem refutadas - , dois recadinhos:

1) Meu tempo é precioso;
2) Você também deveria aprender a valorizar o seu.

Anônimo disse...

Olha o tipo de discipulos que o Gordini está criando! Vcs que já ouviram a gravação da reunião do dia 2 de Agosto de 2007 sabem do que eu estou falando! (Espero que alguem publique essa gravação para todos ouvirem!)


Gordini disse:


"Se nós estamos defendendo uma doutrina para produzir aquele tipo de reação, pra produzir esse tipo de gente, pra produzir esse tipo de reação. Se nós pregramos um evangelho que não produz pessoas humanas, bonitas, elegantes, educadas. Se nós não--Se nós temos um evangelho que produz pessoas beligerantes, odiosas, preconceitosas, nós deveriamos nos envergonhar."



Pois é Gordini foi dito com suas próprias palavras, vc que devia se envergonhar!!!

Norma disse...

Gordini é um sujeito esquisito. Dizendo-se irmão, faz e prega um monte de coisas duvidosas, mas está sempre com o dedo apontado para os outros, valendo-se da lenda de que os cristãos são pessoas "beligerantes, odiosas, preconceituosas" - lenda repetida muitas e muitas vezes por gente que sequer conheceu um cristão na vida.

Gordini está colaborando com o mundo na tarefa de vilanizar a igreja, de tal forma que seu "outro deus" pareça melhor aos olhos do mundo. Gordini faz acusações tão generalistas e subjetivas que é impossível de refutar. Além disso, Gordini acha que o próprio fato de refutar publicamente as idéias de um líder conhecido é a maldade das maldades. Mas não pára de atacar, atacar, atacar. Inclusive com insultos. Mas sempre genericamente, claro. Nada de citar nomes. Essa é sua idéia de humanidade, beleza e educação.

Gordini é um sujeito muito esquisito mesmo.

cristão rejeitado Parte II disse...

Mais um exemplo de cristão rejeitado por sua ideias como eu:


Conta-se que o Apóstolo Paulo enviou seu currículo para a Junta de Missões Mundiais de certa denominação, oferecendo-se para trabalhar como missionário. Depois de algumas semanas, o Secretário da Junta escreveu-lhe esta carta, justificando por que não poderia aceitá-lo.

Ao Reverendo Saulo PauloMissionário Independente
Roma, Itália
Caro Sr. Paulo:

Recebemos recentemente seu currículo, exemplares de seus livros e o pedido para ser sustentado pela nossa Junta como missionário na Espanha.
Adotamos a política da franqueza com todos os candidatos. Fizemos uma pesquisa exaustiva no seu caso. Para ser bem claro, estamos surpresos que o senhor tenha conseguido até aqui "passar" como missionário independente.

Soubemos que sofre de uma deficiência visual que, algumas vezes, o incapacita até para escrever. Essa certamente é uma deficiência grande para qualquer pessoa. Nossa Junta requer que o candidato tenha boa visão, ou que possa usar lentes corretoras.
Em Antioquia, o senhor provocou um entrevero com Simão Pedro, um pastor muito estimado na cidade, chegando a repreendê-lo em público. O senhor provocou tantos problemas que foi necessário convocar uma reunião especial da Junta de Apóstolos e Presbíteros em Jerusalém. Não podemos apoiar esse tipo de atitude.
Acha que é adequado para um missionário trabalhar meio-período em uma atividade secular? Soubemos que fabrica tendas para complementar seu sustento. Em sua carta à igreja de Filipos, o senhor admite que aquela é a única igreja que lhe dá algum suporte financeiro. Não entendemos o porquê, já que serviu a tantas igrejas.
É verdade que já esteve preso diversas vezes? Alguns irmãos nos disseram que passou dois anos na cadeia em Cesaréia e que também esteve preso em Roma, e em outros lugares. Não achamos adequado que um missionário da nossa Junta tenha folha corrida na Polícia.

O senhor causou tantos problemas para os artesãos em Éfeso que eles o chamavam de "o homem que virou o mundo de cabeça para baixo". Sensacionalismo é totalmente desnecessário em Missões. Deploramos, também, o vergonhoso episódio de fugir de Damasco escondido em um grande cesto.
Estamos admirados em ver sua falta de atitude conciliatória. Os homens elegantes e que sabem contemporizar não são apedrejados ou arrastados para fora dos portões da cidade, tampouco são atacados por multidões enfurecidas. Alguma vez parou para pensar que palavras mais amenas poderiam ganhar mais ouvintes? Remeto-lhe um exemplar do excelente livro "Como Ganhar os Judeus e Influenciar os Gentios", de Dálio Carnego.
Em uma de suas cartas, o senhor referencia a si mesmo como "Paulo, o velho". As normas de nossa Missão não permitem a contratação de missionários além de uma certa idade.

Percebemos que é dado a fantasias e visões. Em Trôade, viu "um homem da Macedônia" e em outra ocasião diz que "foi levado até o Terceiro Céu e que ouviu palavras inefáveis". Afirma ainda que viu o Senhor e que ele o confortou. Achamos que a obra de evangelização mundial requer pessoas mais realistas e de mente mais prática.
Em toda a parte por onde andou, o senhor provocou muitos problemas. Em Jerusalém, entrou em conflito com os líderes do seu próprio povo. Se alguém não consegue se relacionar bem com seu próprio povo, como pode querer servir no exterior? Dizem que tem o poder de manipular serpentes. Na ilha de Malta, ao apanhar lenha, uma víbora se enroscou no seu braço, picou-o, mas nada lhe ocorreu. Isso soa muito estranho para nós.

O senhor admite que enquanto esteve preso em Roma, "todos o esqueceram". Os homens bons nunca são esquecidos pelos seus amigos. Três excelentes irmãos, Diótrefes, Demas e Alexandre, o latoeiro, disseram-nos que acharam impossível trabalhar com o senhor e com seus planos mirabolantes.
Soubemos que teve uma discussão amarga com um colega missionário chamado Barnabé e que acabaram encerrando uma longa parceria. Palavras duras não ajudam em nada a expansão da obra de Deus.

O senhor escreveu muitas cartas às igrejas onde trabalhou como pastor. Em uma delas, acusou um dos membros de viver com a mulher de seu falecido pai, o que fez a igreja ficar muito constrangida e a excluir o pobre rapaz.

O senhor perde muito tempo falando sobre a segunda vinda de Cristo. Suas duas cartas à igreja de Tessalônica são quase totalmente devotadas a esse tema. Em nossas igrejas, raramente falamos sobre esse assunto, que consideramos de menor importância.

Analisando friamente seu ministério, vemos que é errático e de pouca duração em cada lugar. Primeiro, a Síria, depois, Chipre, vastas regiões da Turquia, Macedônia, Grécia, Itália, e agora o senhor fala em ir à Espanha. Achamos que a concentração é mais importante do que a dissipação dos esforços. Não se pode querer abraçar o mundo inteiro sozinho.

Em um sermão recente, o senhor disse "Longe de mim gloriar-me, a não ser na cruz de Cristo". Achamos justo que possamos nos gloriar na história da nossa denominação, no nosso orçamento unificado, no nosso Plano Cooperativo e nos esforços para criarmos a Federação Mundial das Igrejas.
Seus sermões são muito longos. Em certa ocasião, um rapaz que estava sentado em um lugar alto, adormeceu após ouvi-lo por várias horas, caiu e quase quebrou o pescoço. Já está provado que as pessoas perdem a capacidade de concentração após trinta ou quarenta minutos, no máximo. Nossa recomendação aos nossos missionários é: Levante-se, fale por trinta minutos, e feche a boca em seguida.

O Dr. Lucas nos informou que o senhor é um homem de estatura baixa, calvo, de aparência desprezível, de saúde frágil e que está sempre agitado, preocupado com as igrejas e que nem consegue dormir direito à noite. Ele nos disse que o senhor costuma levantar durante a madrugada para orar. Achamos que o ideal para um missionário é ter uma mente saudável em um corpo robusto. Uma boa noite de sono também é indispensável para garantir a disposição no trabalho no dia seguinte.

A Junta prefere enviar somente homens casados aos campos missionários. Não compreendemos nem aceitamos sua decisão de ser um celibatário permanente. Soubemos que Elimas, o Mágico, abriu uma agência matrimonial para pessoas cristãs aí em Roma e que tem nomes de excelentes mulheres solteiras e viúvas no cadastro. Talvez o senhor devesse procurá-lo.

Recentemente, o senhor escreveu a Timóteo dizendo que "lutou o bom combate". Dificilmente pode-se dizer que a luta seja algo recomendável a um missionário. Nenhuma luta é boa. Jesus veio, não para trazer a espada, mas a paz. O senhor diz "lutei contra as bestas feras em Éfeso". Que raios quer dizer com essa expressão?
Pesa-me muito dizer isto, irmão Paulo, mas em meus vinte e cinco anos de experiência, nunca encontrei um homem tão oposto às qualificações desejadas pela nossa Junta de Missões Mundiais. Se o aceitássemos, estaríamos quebrando todas as regras da prática missionária moderna.

Sinceramente,

A. Q. Cabeçadura

Secretário da Junta de Missões Mundiais

Norma disse...

A historinha é boa, mas não se aplica ao post, caro Cristão Rejeitado II.

Eu fico estarrecida de ver como as pessoas não lêem o que elas próprias enviam.

Norma disse...

Por exemplo. A.Q. Cabeçadura diz a Paulo:

"Estamos admirados em ver sua falta de atitude conciliatória. Os homens elegantes e que sabem contemporizar não são apedrejados ou arrastados para fora dos portões da cidade, tampouco são atacados por multidões enfurecidas. Alguma vez parou para pensar que palavras mais amenas poderiam ganhar mais ouvintes?"

Ora! Isso é, sem tirar nem pôr, a quintessência do que eu e o pessoal do Tempora-Mores temos que agüentar dos comentários, a cada post mais contundente! A maior acusação que nos fazem é a de "falta de amor", o tempo todo!

O senhor vai me desculpar, sr. Cristão Rejeitado II, mas, nesse caso, Paulo somos eu, Augustus, Solano e Mauro. Com sua licença.

Rac disse...

Concordo que não tem nada haver com o post o que esse irmão postou, mas não posso deixar de fazer uma pequena observação:

"Jesus veio, não para trazer a espada, mas a paz."

Não é o contrario?!

"Não penseis que vim trazer paz ã terra; não vim trazer paz, mas espada." Mateus 10:34

Só isso...

Um abraço!

Mulher na Polícia disse...

Oi, eu venho em paz. (rs)

Licença, moça. Passei aqui pra ver se está tudo bem. E então, tá tudo bem?

Desculpe qualquer coisa e se precisar de mim, já sabe onde me encontrar, né?

Meu melhor sorriso pra você, linda.

Norma disse...

Oi, MnP! Mas por que nesse post velho? Hahahaha!

Seus comentários serão sempre bem-vindos!

Beijocas!