02 agosto 2006

A morte de Fidel Castro

Sei que é pecado desejar a morte de alguém. Mas, quando a morte de alguém é um sinal alvissareiro do fim do sofrimento de muitas pessoas, continua sendo pecado?

Eis que estou com o mesmo dilema por que deve ter passado o pastor Dietrich Bonhoeffer... resolvido com a decisão de participar do assassinato de Hitler.

Jamais, espero, pretenderei participar do assassinato de quem quer que seja, mas não deixo de me sentir um pouco cúmplice – uma cúmplice calada, introspectiva, pudica – da doença de Fidel, ao não conseguir deixar de desejar sua morte. Participo assim um pouquinho, dessa maneira discretíssima (sem falar nada a ninguém e sem sentir uma verdadeira satisfação interior), da esperança dos cubanos diante do desenlace final que poderá abreviar mais de 40 anos de cerceamento do ir-e-vir, sentinelas do pensamento, pobreza generalizada, mortes e prisões arbitrárias. São as máculas de Fidel, que o acompanham por onde quer que ele vá e lhe legam o justo e terrível apelido, na ilha, de coma andante: um espírito de quase morte não só carrega seu corpo, mas transborda e se espalha feito nuvem negra desde 1957, abatendo-se sobre os 17 mil cubanos fuzilados pelo governo, os outros que feneceram de fome e sede em masmorras cujo número ninguém sabe, os outros tantos que morreram em alto-mar buscando liberdade em Miami, os cristãos oprimidos por prisões e autoritarismos (não podem reunir-se, evangelizar e construir igrejas livremente), os que um dia cooperaram com o regime mas se arrependeram e lutam, a altos preços, pela liberação da ilha.

Desses últimos, destaco um nome, Hilda Molina, neurocirurgiã cubana que se levantou contra o tráfico de órgãos humanos e passou a ser perseguida por sua dissidência do regime castrista. Segundo a Folha de São Paulo de 25/07, Hilda tem um filho na Argentina e o próprio presidente Kirchner intercedeu pessoalmente junto a Fidel por ela, em um evento em Córdoba mês passado, para obter do ditador uma permissão de viajar. Fidel fechou a cara para o líder argentino e até hoje não respondeu. Impiedoso para com os "rebeldes", o governo cubano fez algo terrível a ela: privou-lhe de sua aposentadoria, obrigando-a a viver do lauto salário da mãe, 160 pesos (o equivalente a oito dólares por mês). Não satisfeito com isso, ameaça agora privar-lhe da presença do filho, de valor emocional incalculável.

Leio esses casos – quem quiser receber notícias como essa, é só se inscrever na
Frente Universitária Lepanto – e minha indignação aumenta. O que desejar para o monstro Fidel, responsável pelo encarceramento e pela vida miserável, quando não pela morte miserável, de um povo tão gentil e festivo quanto o cubano? O arrependimento, em primeiro lugar. Mas, se tal não ocorrer, que Deus o leve, pela alforria de um povo inteiro e pela vitória da vida e da liberdade. Oro então: Senhor, liberta Cuba e os cubanos da ditadura castrista. Se para isso for preciso a morte de Fidel Castro, que seja. Tu o sabes. Obrigada. Amém.

20 comentários:

christian disse...

E que cuide também de Raulzito. Amém.

Nagel disse...

O problema é que sai Fidel e entra Raúl.

Mas Norma, eu tenho uma certa crise com esse dilema. Conceitos como "os fins não justificam os meios", "o mal quando feito visando um bem, ainda é um mal", etc, acabam por me deixar um tanto grilado. Ainda não sei ao certo o que pensar do Bonhoeffer e do nosso sentimento em relação ao Fidel. Não sei mesmo.

Bom, tomara que as coisas mudem por lá.

Abração.

william andrade disse...

é uma pena ele morrer sem antes passar uns longos anos na cadeia...

Norma disse...

Eu também fico griladíssima com esses conceitos, Nagel. É por isso que o post passa uma contradição, em vez de uma certeza confortável. Os cristãos que admiram e usam os textos de Bonhoeffer não costumam entrar fundo nessas reflexões. E sequer pensam que Fidel é um ditador tão detestável quanto qualquer outro.

Caio Kaiel disse...

Amém... Claro!

Mas também fico preocupado com sua sucessão.... Mas enfim, com tantas notícias ruins sobre a URSAL, a morte de Fidel é um alento, mesmo que breve.

Cfe disse...

Você sentiria pena pela morte do Hitler?

wilson bento disse...

Os EUA est~ao enviando mensagens pela radio clandestina em Cuba que se o povo se levantar contra o sucessor poder~ao esperimentar a liberdade com apoio americano e logo após os EUA estariam dispostos a investir alguns milhões de dolares para a reconstrução da infraestrutura de Cuba.

Pensando nisso: Adios Fidel, acerte suas contas com o Senhor do universo!!!

Marcio Estanqueiro disse...

Perfeito!
Que seja assim, mesmo que para isso tenha que morrer Fidel. Do jeito que a política na America do Sul está, penso que não vai ser tão tranquila sua sucessão. Chavez e Lula não vão querer ficar sem o apoio de Cuba, o fim pode ser mais trágico ainda.
Um abraço.

Nagel disse...

Norma, você viu? Diante das palavras de Bush, um jornal cubano haveria dito que "a palavra transição não existe no vocabulário cubano."

Sim, sim. Eu entendi o seu ponto. Interessante pensarmos sobre isso.

Abraços.

Luis-RJ-Barra disse...

Eu não sinto a menor pena de Fidel Castro. Como cristão, poderia desejar que ele se arrependesse, mas quem criou o Foro de São Paulo não está disposto a pedir perdão pelos seus pecados. Já me perguntei porque Deus deixou este homem viver durante tanto tempo, mas quem sou eu para entender os desígnios do Criador?

João Emiliano disse...

Prezada Norma,

O pecado do sr. Castro como de todos os comunistas célebres eu digo e repito é o pecado contra o Espírito Santo, ora, a este pecado não há perdão nem neste nosso mundo presente, nem no futuro que é purgatório.

Que esse Fidel Castro vá, já vai tarde, para o quinto dos infernos!...

FRANS MARTINS disse...

Calma Menina...o homem vai partir, de um jeito ou de outro. tudo e todos passam..até estas vãs palavras passarão. Sem ódios então viveremos melhor. Numa época em que idiotas polarizam as discussões em "BEM" e "MAL", num preto versus branco horroroso, se esquecem que a vida é colorida. Estive algumas vezes na America central, conheço boa parte dos paises (El Salvador, beliza,Guatemala, Costa rica, Haiti, etc...) e não creio que a situação seja melhor que a de Cuba. Na verdade, em muitos lugares do Brasil a situação é pior que em Cuba, é só andar pela periferia de alguns lugares...Cada povo tem um desenvolvimento cultural e historico peculiares. Não entremos nesse jogo fundamentalista de ressuscitar o Diabo, demonizando pessoas de carnes e ossos, como nós, com virtudes e defeitos. A violência nasce do coração daquele que julga ter algum direito de violar, e fica mais facil violar com violência, e quase sem culpa, quando nos colocamos simplesmente do lado dos "BONS" E "CORRETOS".
Não somos tão bons nem corretos assim (O Brasil) e julgar sempre foi um ato controverso quando o réu não é confesso. Todos se justificam pelas circunstancias e contingências. Bem, o que eu disse foram palavras esparsas escritar no furor da madrugada, me motivou mais seu texto sobre "MARX E O SATANISMO". Achei tão DEMODÊ, um anacronismo pra uma garota da sua idade. O diabo já foi ENTERRADO há muito e ninguém realmente serio e contemporâneo compreende estas questões literalmente (alguns ainda vivem no neolitico. Um voto pela moderação sensibilidade. Continuemos com Sartre: "o Inferno são os outros".
Cuide-se bem. Bjos Fran.

Norma disse...

Oi, Frans,

Obrigada pelo comentário carinhoso.
Olha, vou responder de uma forma bem singela, talvez mais singela do que você gostaria. Sou uma seguidora de Cristo, e para ele os demônios eram uma realidade, tanto que os expulsava. Se eram uma realidade naquela época, é claro que são uma realidade hoje. Demônios não morrem, pois são espíritos.
Démodé? É verdade, totalmente. Mas religiosos e conservadores são assim mesmo. :-)
Abraços!

Marcelo Hagah disse...

Acho que o Fidel Castro já vai tarde. Matou gente demais. O Lago de Fogo o aguarda.

Marcelo Hagah
João Pessoa-PB

Reginaldo Almeida disse...

Norma,

Não deixa de ser tentador aderir à linha de pensamento de que se esse se vai, Cuba seria um país melhor.

Infelizmente, o que mais me indigna é a cegueira que nós brasileiros, e generalizando, nós latino-americanos temos em relação a Cuba, Fidel Castro e seu regime ditatorial.

Se existir um Pulitzer de marketing, certamente o maior ganhador deveria ser o Fidel. Quando falamos mal de Cuba, mesmo para pessoas esclarecidas, ninguém lembra dos mortos, dos encarcerados, dos mortos de fome ou dos que fugiam da ilha. Todos se lembra apenas dos Ph.D's, dos médicos, do nível de alfabetização e da saúde.

Essa ilha e esse regime só se mantém porque pessoas como Lula e Dirceu, assim como tantos políticos "progressistas" e "pseudo-intelectuais" o apoiam. O que dizer do Chico Buarque, "sou comunista, mas tenho um apto em Paris, numa daquelas ilhas do Senna...".

Já que não dá pra discutir a cegueira do nosso povo, o jeito é apelar pra Cristo, e lembrar que o Comunismo, essencialmente nega a Cristo, e que em Cuba, aquele que exerce a sua fé, está todo o tempo sujeito a ser perseguido pelo estado. Penso que só Cristo para tocar os corações dos incautos que defendem o comunismo/socialismo no Brasil. E quanto aos não incautos, sinto muito, que sigam para o inferno, já que há muito fizeram a sua opção!

oliver kleim disse...

em relação ao acima comentado.
O comunismo como filosofia foi usado por Cristo e na descrição da igreja primitiva. O grande equivoco e tomar uma filosofia e tentar transforma-la em sistema de governo e pior ainda, com objetivos excusos de obter poder e recopnhecimento que não viriam jamais democraticamente nem tão pouco por reconhecimento de um povo. Até o evangelho (que conceitualmente é uma filosofia, sei que na essência é muito mais que isto)quando encarcerado num regime totalitário como Roma mediaval ou algumas igrejas evangelicas contemporâneas, produziu e produz as maiores atrocidades intelectuais no mínimo.

Cláudio Albuquerque disse...

Norma,
Sobre sua resposta ao Frans Martins, dou Glória a Deus porque você é "Démodé". Isso significa um ser transformado pela ação do Espírito, comprometido com a verdade histórica e espiritual do Evangelho de Cristo. Glória a Deus novamente. Continue então nos abençoando com seus bons artigos. E Frans, meu amigo, peça a Deus que lhe abra "os olhos" para o entendimento de Sua maravilhosa Palavra, para que você também consiga ver aquilo que nós passamos a ver no momento em que entregamos nossas vidas ao Senhor e Salvador Jesus Cristo. Que Deus o abençoe ricamente.
Com sinceridade e carinho,
Cláudio Albuquerque.

jbprolla disse...

Ben Shapiro escreveu no site

www.theconservativevoice.com

no dia 01 de agosto:

"God will wreak His justice on the godless thug who terrorized his nation and plagued the world. May it [the death of Fidel Castro] happen as soon as possible." Amem,digo eu.
Aos catolicos que impensadamente seguem a politica do Vaticano, recomendo os textos do exilado cubano Armando Valladares, que o nosso bravo presidente Lula qualificou de "um picareta"...
Ler esses textos e' um excelente exercicio de casa para saber quem e', e o que pensa de Fidel Castro,o Cardeal Tarcisio Bertone, substituto do Cardeal Angelo Sodano na Chancelaria do Vaticano, ambos Lobos em peles de cordeiros. Sodano, Ratzinger (hoje Bento XVI), Bertone e Castrillon-Hoyos e' o quarteto responsavel pelo fiasco da "revelacao do terceiro segredo de Fatima". Uma bomba que se revelou um busca-pe'. Para a historia completa desse triste episodio recomendo o livro "The Devil's Final Battle", compilado e editado por Paul Kramer.
O Principe das Trevas esta' dando gargalhadas, pois esta e' a sua hora. Mas a batalha final ainda esta' por acabar.
Que Deus te proteja, Norma, por nao estares sentada na arquibancada, mas engajada na batalha, como toda alma que neste momento vive neste mundo e escolheu o lado de Deus.

Conde Loppeux de la Villanueva disse...

Ler esses textos e' um excelente exercicio de casa para saber quem e', e o que pensa de Fidel Castro,o Cardeal Tarcisio Bertone, substituto do Cardeal Angelo Sodano na Chancelaria do Vaticano, ambos Lobos em peles de cordeiros. Sodano, Ratzinger (hoje Bento XVI), Bertone e Castrillon-Hoyos e' o quarteto responsavel pelo fiasco da "revelacao do terceiro segredo de Fatima". Uma bomba que se revelou um busca-pe'. Para a historia completa desse triste episodio recomendo o livro "The Devil's Final Battle", compilado e editado por Paul Kramer.

COnde- Eu bem queria saber qual a relação entre catolicismo e castrismo. . . bem, isso parece ser fofoquinhas de protestantes! Mas fazer o que. . .os protestantes trocaram o papa pelo Rei. . .

jbprolla disse...

Caro Conde:
A relacao entre catolicismo e castrismo (=comunismo) e' de oposicao frontal no ambito doutrinal. Mas no ambito diplomatico da traicao clerical a relacao e' de paz e amor. Como sou catolico, como tb o e' o Armando Valladares, nossas denuncias desse colaboracionismo vergonhoso nao podem ser classificadas de fofoquinhas de protestantes.
1)O Cardeal Tarcisio Bertone visitou a ilha-presidio de Cuba em Outubro de 2005. Durante essa visita, teve uma entrevista de duas horas com o ditador Castro, a quem transmitiu uma saudacao especial de Sua Santidade Bento XVI. Ao retornar a Genova convocou uma entrevista coletiva com a imprensa italiana e as principais agencias internacionais de noticias. Entre outra joias orwelianas, Bertone disse que em Cuba "a abertura ja' e' total".
2)A Conferencia dos Bispos Catolicos de Cuba pressiona as consciencias dos fieis, pedindo que rezem pela saude do Lobo Vermelho: e' a mesma Conferencia que jamais se atreveu a pedir oracoes pelos milhares de presos politicos e pelos fuzilados nos "paredones".
3)No dia seguinte ao pedido dos bispos cubanos, eis que o Cardeal Primaz das Americas (pobre delas) e Arcebispo de Santo Domingo, monsenhor Nicolas Lopez Rodriguez, vem pedir aos dominicanos que "rezem pela saude" do ditador, e para adicionar injuria ao ferimento, qualificou de desumana a legitima esperanca dos cubanos desterrados ver o fim da ditadura em Cuba.Este e' o mesmo Cardeal que em agosto de 1998, antes da visita de Castro a Santo Domingo, convocara os fieis a dar-lhe "una feliz y calida bienvenida".

Mas a traicao dos clerigos nao e' de hoje. Ja' se passaram mais de quinhentos anos desde que Santa Joana d'Arc, vestida de fogo, e bradando "Jesus, Jesus" foi remetida ao Paraiso pelos clerigos da epoca,que a queimaram atada num poste. Ela que era, nas palavras de Mark Twain que a soube amar, "the most innocent,the most lovely, the most adorable and noble child the ages have produced". (Vide a traducao publicada pela Editora Record,2001)