02 dezembro 2014

Ódio à verdade

Eu sei que faz tempo, mas não dá para esquecer Jean Wyllys fantasiado de Che Guevara para uma foto. Consta que ele ficou bravo por ser criticado. Eis o que ele disse:

O argumento de que "Che Guevara era homofóbico" além de empobrecer uma rica biografia e de simplificar uma personalidade complexa – e só ignorantes são capazes desse reducionismo constrangedor – não leva em conta que em sociedades capitalistas como a nossa e dos EUA os homossexuais são vítimas não só de discursos de ódio, mas de homicídios numa proporção assustadora...

A coisa já começou mal: "O argumento de que ‘Che Guevara era homofóbico’..." Não se trata de um "argumento", mas sim de um fato, que não escaparia ao conhecimento de Wyllys caso ele fizesse questão de conhecer melhor a pessoa por trás do símbolo. O escritor cubano Guillermo Cabrera Infante, em Mea Cuba (editado no Brasil pela Companhia das Letras), conta uma história que ilustra o ódio que Guevara nutria por homossexuais. Na década de 1960, em visita ao embaixador cubano na Argélia, Che viu na estante da biblioteca as Obras completas do poeta Virgilio Piñera e esbravejou "Como você pode ter o livro dessa bicha na embaixada?", jogando um volume contra a parede. Temeroso, o pobre embaixador jogou os livros no lixo.

Eu só fico pensando... Os militantes do lobby gay têm os cristãos como grandes inimigos, porque cristãos consideram a Bíblia sua base de fé e acreditam que o homossexualismo é pecado - um dos muitos pecados que fazem parte da natureza humana desde a queda. Trata-se de uma categoria TEOLÓGICA que tem sido objeto de muito malentendido por aí. Dizer que o homossexualismo é pecado não equivale a aprovar qualquer tipo de violência ou repressão contra os gays, pois sabemos muito bem que só Deus pode lidar satisfatoriamente com o pecado humano. Chamar o homossexualismo de "pecado" significa apresentar a possibilidade de perdão a pessoas que não estão felizes com suas pulsões homossexuais.

Dificilmente você vai encontrar um cristão esclarecido que aja como Guevara agiu. Pode perguntar a qualquer cristão que goste de literatura: você deixaria de ler Marcel Proust, Oscar Wilde e Tennessee Williams, por exemplo, só porque esses autores são gays? A resposta será um sonoro NÃO. 

No entanto, Jean Wyllys - sim, o aguerrido lobista LGBT Jean Wyllys - desculpa Che Guevara com as palavras "rica biografia", "personalidade complexa" e "reducionismo constrangedor", mesmo tendo ele feito algo que nenhum cristão digno de seu Mestre sonha em fazer: condenar um poeta gay à lata do lixo.

Dois pesos, duas medidas. Claro, porque o símbolo rende muitos dividendos ideológicos e deve ser preservado a qualquer custo. Sacrifique-se a verdade, por que não?

E ainda querem poder para legislar "crimes de ódio" no Brasil, inocentando um assassino que censura poetas e agride leitores, mas condenando um pastor inofensivo que pregue em Romanos 1 sobre pecado e perdão.


3 comentários:

Marcio Pereira Gonçalves disse...

Um artigo esclarecedor! Realmente um verdadeiro seguidor de Cristo jamais poderá ser cúmplice de uma ação de ódio contra seres humanos!

Pedro Paulo disse...

Estamos formando "grupos da verdade" com professores e outros colaboradores para combater a infâmia dos livros didáticos em nossa cidade. Se quisermos combater as malditas mentiras das esquerdas, teremos que arregaçar as mangas e irmos as ruas e guetos, passarmos vídeos e darmos palestras nos locais do povão. Parabéns pelo Artigo irmã Norma. Valeu !!

Bruno Moraes disse...

Acredito que muita gente não sabe ou não entende "o que" era Che Guevara, por isso calcam-se em determinados clichês sobre o cara. Até o nosso renomado intelectualóide esquerdista do PSOL não detinha conhecimento de determinadas coisas que contrastam com seu verdadeiro objetivo ao querer chamar a atenção com a imagem. Eu já escrevi sobre o Jean Wyllys no eu blog, acho ele um bom deputado, mas é explorador do seu nicho eleitoreiro. Gosta de aparecer demais, e isso irrita. Quando o assunto é defender direitos da minoria a qual representa, ele o faz bem até certo ponto... depois exagera. Aí o Lobão fala de "gayzismo" e tem gente que critica. Cada um deve entender os limites de sua condição, e não entrar em conflito com a força maior, principalmente quando se é menor - óbvio. Os homossexuais tem todo direito de viver bem, mas não de viver melhor do que o padrão - heterossexuais - por mais que tenham sofrido com preconceitos. E além do mais, recentemente uma reportagem do jornal o globo culpou o preconceito ser causa do índice do hiv ser de 15% entre os homossexuais. Pode procurar... o que tem a ver o preconceito com tal percentual?! Nada!! A diferença é a promiscuidade da classe homossexual. Não tenho nada contra, tenho amigos homossexuais. Mas só citei isso porque sei que o problema está sempre ligado a educação, e, desculpe-me a redundância, mas educação sexual também é educação! E esse showzinho do Jean pra aparecer não adiciona nada nem a causa dele, só expõe ele na mídia pra angariar mais votos.

Abraços!