13 novembro 2010

História de minha conversão (I)

Em uma série de posts, pretendo contar a história de minha conversão.

Eu fazia Faculdade de Letras (Francês) e costumava, junto com outros alunos, pegar carona para casa na saída do estacionamento. Era a época em que o transporte público ali era escasso e lotado. Entre um carro e outro, um amigo me apresentou a um colega que cursava Russo, A.R., a quem logo enderecei a pergunta de costume:

Qual o seu signo?

Ele me olhou um tanto espantado e, para minha surpresa, respondeu:

— Eu não tenho signo.

Fiquei furiosa. Naqueles tempos dogmáticos, quem não partilhava de minhas convicções — reencarnação, astrologia, sortes — era irremediavelmente burro ou tapado. Como, não tinha signo? Todo mundo tem signo!

Eu não tenho — insistiu ele, e aquilo anuviou a conversa. Mais tarde, vim a saber que ele era “crente” e a antipatia se cristalizou mais ainda.

Durante meses, eu até o cumprimentava pelos corredores da Letras, mas de muita má-vontade, diga-se. Ele sempre acenava para mim polidamente.

Três anos se passaram. Um amigo me evangelizou (essa será a História de minha conversão II) e recebi a Palavra com alegria.

No mesmo estacionamento, voltei a encontrar A.R. e fui direto ter com ele.

— A.R., você pode me ajudar? Eu comecei a ir à igreja e estou com algumas dúvidas em relação à Bíblia.

Ele abriu um imenso sorriso. Depois, contaria que andara orando por minha conversão desde nosso primeiro (e inamistoso) contato, todos os dias. Lembrando-me hoje de sua lealdade, penso que naquele momento seu coração deve ter ido até o céu, fazer festa com os anjos.

8 comentários:

Ricardo Mamedes disse...

Norma,

Que beleza!!! Histórias de conversão são sempre motivadoras. Esperarei ansioso pela continuação da narrativa.

Que Deus a use mais e mais para a propagação do Evangelho, e o combate a tudo aquilo que o negue ou que seja incompatível com as Escrituras.

Abraço.

Ricardo.

Esli Soares disse...

Norma,

Que maldade a história da sua conversão em dose homeopáticas... espero que a parte dois venha logo.

Curiosamente esperando,
Esli Soares

Norma disse...

Obrigada, queridos amigos! A segunda parte vai chegar já já. ;-)

Casal 20 disse...

OBA!!!

Lembrei dos meus tempos de faculdade de Letras nos quais os "crentes" eram para mim fanáticos, loucos e tapados... Quebrei a cara quando conheci Jesus (na faculdade também)!

Aguardamos mais.

Gustavo Abadie disse...

Mas tche, Norma,
arreglo junto com o Esli.
Contar a história de conversão em conta gotas é pior que manear touro a unha.
Grande idéia! Ótimo Post! Na espera do próximo chasque.
Abraço,
Gustavo

Norma disse...

Hehehehe!

Se depender do número de horas que eu estou dormindo por dia por causa da gravidez, as doses vão ser cada vez mais homeopáticas. Paciência, meus bravos! :-D

Marcelo disse...

Graças a Deus pela sua conversão, minha amiga. O reino de Deus na terra é mais inteligente, mais sensato, mais bonito e mais, muito mais "tudo de bom" (expressão de quem não tem mais adjetivos) com você.

Quando vier à Paraíba, estaremos aqui esperando vocês. Vamos comer peixe na praia ou macaxeira com galinha num sítio.

Marcelo Hagah
João Pessoa-PB

odranoeljrs disse...

Com a versão particular da sua conversão convergirão em quem lê mais notas do cuidado e da atuação de Quem nos vence e nos convence a segui-Lo.

Feliz cada novo dia...

(Nesta vida eleita e acima das eleições...)