02 setembro 2009

Enxaqueca*

Na minha pré-adolescência, sempre às voltas com doces e chocolates, descobri algo importante: bastava abusar – comendo uma caixa de bombons inteira ou tomando sorvete demais – que me sobrevinha uma forte crise de dor de cabeça. Nesses episódios, eu tinha de ficar deitada, imóvel, em um quarto escuro, enquanto alguém cuidava de mim (na época, minha mãe ou minha melhor amiga) preparando algo bem inofensivo na cozinha, como canja ou sopa. Meu pai dizia a mesma frase, “isso é fígado”, e nunca ninguém cogitou a hipótese da enxaqueca.

Já adulta, quando meu médico descobriu em meus exames uma deficiência de estrógeno, sugeriu-me reposição hormonal por meio de pílula ou injeção. Topei a primeira, claro. Não lembro se ele me perguntou sobre dores de cabeça, mas o certo é que na bula do remédio estava escrito algo como: “Não é recomendável a portadores de enxaqueca.” Como eu não sabia que tinha enxaqueca, não teria feito diferença alguma.

Cinco anos depois, a constatação da tragédia: crises como aquela, ou até mais fortes, mesmo sem abusar de doce algum, em média três vezes por semana. Algumas duravam cinco dias ininterruptos. Caixas e caixas de analgésico. Medo de andar ao sol, de dormir tarde, de acordar cedo, de fazer muito esforço. Virtualmente tudo era capaz de provocar dores de cabeça.

Tive de sofrer esses anos todos de crises incapacitantes cada vez mais frequentes para enfim ser levada a concluir, através da preciosa ajuda do dr. Alexandre Feldman e de sua esposa Pat Feldman (nos sites indicados e em seus dois livros Enxaqueca: só tem quem quer e A dor de cabeça morre pela boca), que um conjunto de variáveis era responsável pelas dores: em primeiro lugar, a bomba hormonal que eu estava tomando; em seguida, a má alimentação, a falta de exercícios e o sono irregular. Estou aos poucos acertando esses pontos, com o fim da reposição e uma dieta rigorosa (mas libertadora!) o mais isenta possível de produtos industrializados e porcarias químicas. Quando os resultados se tornarem mais consistentes (completei anteontem o primeiro mês do tratamento) eu os posto aqui.

Coragem: se você tem enxaqueca, o fim das dores pode ser uma decisão sua!

* Porque o Blog da Norma Braga também é de utilidade pública. :-)

13 comentários:

Cristiano Silva disse...

Fiz um tratamento homeopático, no meu caso, e funcionou. Hoje não sofro mais disso.

Lembro-me que a primeira crise que tive foi aos 12 anos enquanto estava lendo a Odisséia de Homero. De repente, vários pontos luminosos apareceram na minha vista, e logo em seguida, esta dor terrível. Enxaqueca é um porre mesmo.

Abraços.

Norma disse...

Oi, Cristiano! O seu caso era enxaqueca com aura. O meu é sem. Talvez homeopatia seja uma boa.

Deixe-me dizer-lhe uma coisa. Em algum post anterior você declarou que estava meio decepcionado com a igreja evangélica. O que era? Acabei nem respondendo a você sobre esse assunto tão importante.

Abraços!

Carla disse...

Oi Norma! Ha um tempo atras, tive crises horríveis de dor de cabeça, acompanhada de dor na vista, paralisação do lado direito do corpo, diarréia...bem, descobri que era "enxaqueca ocular" e o médico disse que do mesmo jeito que apareceu, iria embora, podendo voltar a qualquer momento. Era uma dor de pedir pra morrer. Hoje não tenho mais, e acho que esses fatores que voce mencionou é que desencadeavam a lancinante dor.
Espero que voce melhore!

Um abraço

Carla disse...

Como disse o Cristiano, minha vista também ficava cheia de pontos luminosos e eu ía perdendo a visão aos poucos...horrível.

Alex Malta Raposo disse...

Oi Norma. Cheguei até aqui através do Sola Gratia. Gostei muito do seu blog. Temas tratados com a sensibilidade e leveza próprias de vcs, mulheres. Parabéns. Se quiser visitar a minha página, www.vivendooevangelho.blogspot.com. É sempre bom ter um feed-back de quem já está na blogosfera há mais tempo. Forte abraço.

Cristiano Silva disse...

Olá Norma,

É difícil falar, porque são várias coisas que de tempos em tempos me incomodam. Mas, com o tempo, tento controlar isso focando a minha concetração naquilo que acho essencial, o verdadeiro chamado de Cristo: morrer a cada dia para mim mesmo, para que possa viver Nele.

E sim, era com aura. Era terrível! Por um tempo, esteve associado com um período de depressão que tive, e inclusive tive que ficar mais de 1 ano sem comer qualquer chocolate. Mas graças a Deus, já há vários anos que não tenho.

Abraços.

Norma disse...

Carla,

Agora você já sabe que, se voltarem suas dores, existe o excelente site do dr. Alexandre. Ele é generoso o suficiente para disponibilizar muitas das informações que estão no livro! Aproveite!

Obrigada pelos bons votos! A situação está, em geral, melhor que antes, mas eu sei que a cura total demora ainda. Afinal, fiquei sete anos tomando hormônios.

Abraços!

Norma disse...

Oi, Alex! Vou fazer uma visitinha sim!

Cristiano, é isso mesmo, olhar para Jesus. Mas ajuda também ter alguns modelos. Quando muita gente o decepciona, talvez seja hora de mudar o meio onde você convive. Não tenho me decepcionado muito com nada porque tenho frequentado igrejas e pessoas saudáveis na fé. Também não busco informações sobre as últimas heresias ou os últimos escândalos, porque acho isso tão inútil quanto desanimador. Estou cercada de gente fiel, e quando me decepcionam encaro isto como algo pessoal - jamais como "decepção com a igreja". Mas estou divagando, pois não sei a natureza dos seus sentimentos.

Abraços!

Cristiano Silva disse...

Olá Norma,

Também não busco informações sobre as últimas heresias ou os últimos escândalos, porque acho isso tão inútil quanto desanimador.

Tento fazer isso, mas infelizmente às vezes tenho que buscar informação sobre elas para defender e entender melhor o ponto de vista bíblico.

O que me deixa às vezes triste é constatar que hoje em dia os modismos fomentam mais a igreja do que a doutrina. Se, por exemplo, "combater o pensamento de escassez" e fazer algo voltado para "propósitos" hoje é cool, então vamos lá, às vezes passando por cima do que a própria Bíblia tem a dizer.

Acho que uma das grandes decepções mesmo nos últimos anos foi a teologia relacional / teísmo aberto, este "outro deus" no mercado. Fico muito triste com isso, e especialmente porque parece ter surgido em nosso meio, o que me envergonha mais.

Bom, vou parar por aqui, senão fica grande. Valeu pela ajuda, atenção e lembrança. Se quiser, de vez em quando, passe no meu humilde blog, pois comento coisas lá.

Abraços.

Kat disse...

Oi Norma,

Eu tb já sofri muito de enxaqueca. O especialista me disse que sofria de 3 tipos, hormonal, nervosa, e de postura; isso mais de 20 anos atrás. As causas foram mudando, mas a danada da dor não... Encurtando a minha história, já não como mais brócolis, descobri que alergia me dá enxaqueca, e Distúrbio de Atenção também: ambos resolvidos com medicação e muito soro salino. Ah, beber água é fundamental. Boa sorte.

Eduardo Medeiros disse...

Oi Norma. Olha, eu sofri 20 anos com uma dor de cabeça que nunca passava. Era concentrada no fundo dos olhos. Fui a diversos médicos, tomei toneladas de analgésicos (o que não se deve fazer, depois fiquei sabendo)e nada melhorava a maldita. Os médicos diziam que eu não tinha enxaqueca(outros que sim) mas que a própria dor era a doença. Sou militar e na época isso me limitava bastante, por isso acabei ficando 2 anos em licença de saúde e acabei sendo reformado. Já estava convencido a conviver com a maldita pro resto da vida, mas minha noiva na época, não permitiu que eu me entregasse. Sempre me aconselhando a crer que Deus poderia resolver o problema. E resolveu, assim creio, pois resolvi ir a um médico pela última vez e no hospital naval aqui no rio me consultei com uma médica que eu nunca tinha ido, ela me receitou um remédio que eu nunca tinha tomado, peguei o primeiro comprimido, meio incrédulo e minha noiva disse "confia"! orei pedindo a Deus que aquele remédio fizesse efeito (num esforço incrível para acreditar nisso)e para minha surpressa..voila, em 2 semanas a dor sumiu!! Acreditar no melhor é sempre importante, esperar sempre que coisas boas nos acontecerão, mesmo sabendo que não dá pra passar pela vida totalmente incólume. Desculpe o tamaho do comentário, por favor.

Renato disse...

Norma, desculpe a minha curiosidade.

Esse endereço no orkut é seu?

http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=1924914249646658115

Norma disse...

Oi, Renato!

Hahahahahaha! Não é não! Imagina se fosse... No testimonial dessa minha homônima tem gente escrevendo "lembra do porre que tomamos juntos" e ela faz parte da comunidade "Eu bebo e ligo para os amigos". Hahahaha! O último copo de vinho que tomei foi na França, em 2007!

Abração! ;-)