07 abril 2015

A força da narrativa

Ando escrevendo muito, mas para mim mesma e/ou para minha dissertação de mestrado, que defendo até o fim do ano, se Deus quiser. Por isso este blog anda parado ("anda parado" é ótimo). Mas tenho publicado coisinhas no Facebook, onde tudo brilha por segundos até desaparecer para sempre - quando não quero que certas coisas desapareçam, publico-as no blog, e é assim que será, até segunda ordem.

Por isso vim aqui hoje: vale a pena dobrar e guardar essa entrevista de Umberto Eco, publicada na revista Época em 2011, quando ele completou 80 anos. Críticas à internet, política internacional, conspirações, hobbies preferidos e a força da narrativa, que segundo ele "é mais efetiva do que qualquer tecnologia". Se quiser conversar sobre o conteúdo, vá aos comentários! Vamos deixar de lado um pouquinho aquele buraco negro que é o Facebook.

 

3 comentários:

Rodrigo HeadRock disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Teixeira disse...

"O excesso de informação provoca amnésia. Informação demais faz mal...". O mais triste é ver que com o avanço da tecnologia houve muito acesso à informação, mas um tipo de informação barata que aposso até considerar como fofoca de esquina, ou seja, rasa. Podemos até não sabermos da fonte, mas o que prevalece é que estamos por dentro do assunto. Ao mesmo tempo que há paciência para ler mensagens no whatsapp e postagens no Facebook, falta tempo e paciência para nos debruçarmos nos livros que, em sua maioria, são as fontes e revelam as fontes.

Norma disse...

Sim, essa é uma das melhores partes da entrevista!