04 agosto 2014

Animais, crianças e adultos

O pai se distraiu com o filho pequeno no zoo e o menino mais velho pulou para dentro da área proibida que dá para a jaula do leão e do tigre.

- Vi que a situação estava sob controle, o leão estava muito tranquilo - contou o pai.

O pai DEIXOU o menino ficar dentro da área PROIBIDA do leão e do tigre. O menino atiçou os animais, enfiou o braço pela grade e o tigre o atacou.

- Acidentes acontecem. Podia ter sido com o filho de qualquer pessoa -, comentou a mãe.

O pai DEIXOU o menino ficar DENTRO DA ÁREA PROIBIDA do leão e do tigre. O menino perdeu o braço. A opinião pública culpa o zoo.

- Eles têm a obrigação de proteger os consumidores de eventuais acidentes -, sentenciou o advogado.

O PAI DEIXOU o menino ficar DENTRO DA ÁREA PROIBIDA DO LEÃO E DO TIGRE. A opinião pública não só culpa o zoo, mas responsabiliza o animal, exigindo:

- Sacrifiquem o tigre!

O PAI DEIXOU O MENINO FICAR DENTRO DA ÁREA PROIBIDA DO LEÃO E DO TIGRE. O menino, de braço amputado, pede:

- Não matem o tigre!

Moral da história: O animal agiu conforme a natureza e a criança compreendeu isso. Já os adultos abdicaram de qualidades humanas basilares: respeito aos pais e às leis; imposição de limites na educação dos filhos; relação entre causa e efeito na infração das regras; capacidade de avaliação diante do erro; correta atribuição da responsabilidade; compaixão pelo mais fraco. E coroaram o processo de desumanização elegendo justamente o ser mais fraco - sem raciocínio e sem liberdade - como bode expiatório. Como se o tigre devesse saber que não podia atacar o menino, mas o pai não devesse saber que ensinar o filho a obedecer é um ato de proteção.

Em uma sociedade que não sabe mais como educar suas crianças, um pai dificilmente se responsabiliza quando o filho, não obedecendo, precisa arcar com as consequências de seus atos. Mas esse pai é responsável. E provavelmente será responsabilizado diante da lei.

Da próxima vez em que você pensar em enaltecer a cultura brasileira contemporânea, lembre-se dessa história e se envergonhe como eu me envergonhei...

4 comentários:

Esli Soares disse...

Somos todos macacos, nada mais! Não é isso?

Marcio Pereira Gonçalves disse...

Que ponto caminhamos como seres humanos, andamos cada dia mais dispersos, andamos errantes, a nossa sociedade se perdeu, esses são realmente sinais de uma sociedade cada vez mais distante de Deus! Que Deus tenha compaixão dessa criança e claro dos pais.

R matos disse...

Em partes e sob algumas famílias, paira a inversão de valores. Pai é amigo e amigo tem a autoridade de pai. Na questão em pauta, um pai que provavelmente aprendeu as duras custas que autoridade de paterna para educar filho, no que tange a regras e limites, não abre exceção.

Ana Carolina disse...

Realidade cada vez mais lamentável. O irracional leva a culpa e, o tido por racional e responsável agiu como se não fosse nem uma coisa nem outra. Frutos de nossa cultura de vitimização e fuga dos deveres mais elementares.