17 janeiro 2014

Consonância

Saiu meu artigo na edição de janeiro de Teologia Brasileira! Chama-se A imaturidade nossa de cada dia e traz uma crítica a certo tipo de conservadorismo que tenho visto se levantar no meio protestante brasileiro. Norma Braga criticando posturas conservadoras? Pois é, pois é, pois é! :-)

E, como se tivéssemos combinado, no mesmo número Jonas Madureira afirma a tolerância como "a atitude própria de toda alma robusta" e, em outra publicação, Davi Charles Gomes atesta que firmeza e tranquilidade devem andar de mãos dadas na argumentação, lembrando que, nestes tempos esquisitos de declarações totalitárias em nome do amor, seria bom meditar sobre aquela famosa frase de Voltaire...

A trinca de textos dialoga entre si e se complementa. Sinto-me feliz por recomendá-los juntos aqui. Boa leitura!

 

3 comentários:

Marcio Pereira Gonçalves disse...

Um excelente artigo, parabéns Norma Braga. Realmente é um alerta para as nossas mentes. Temos que aprender a ter uma cosmovisão equilibrada conforme a mente de Cristo. Assim sendo, nos tornaremos luz e sal neste mundo. Você é um dom de Deus para nós Igreja de Cristo!

Rauni disse...

Muito bom. Que Deus possa nos capacitar a ter e viver uma visão cristã de mundo sábia, profunda, equilibrada e amorosa; de modo que evitemos a "mentalidade de gueto", de sermos "crentes esquisitos" e percebamos que podemos aprender e se contextualizar com mundo sem perder a identidade e as convicções cristãs.
Infelizmente, uma parte de nós, entre elas eu, aprendemos a "engolir camelos e coar mosquitos".

Levino Carvalho. disse...

Norma, Paz !
Notei quando ouvi em meios de esquerda sobre tolerância, uma intenção de ressignificar " tolerância ", por isso acredito que e de grande valor, quando vemos apresentações como estas, sobre tolerância, que são capazes de mostrar a incoerência desta nova abordagem que querem fazer, acredito ser muito útil vencer o medo da incompreensão, e falar sobre a tolerância coerentemente como vocês fizeram, pois assim será revelado os verdadeiros intolerantes.